Se eleita, Márcia Scherer vai refazer proposta da Guarda Municipal: “O projeto que está na Câmara não serve”

Candidata do MDB promete unificar as secretarias de Fazenda, Planejamento e Administração para reduzir custos e burocracia na gestão pública.


0
Foto: Tiago Silva

Delegada de Polícia Civil aposentada, a candidata à prefeita de Lajeado Márcia Scherer (MDB) tem entre suas pautas principais de campanha a criação de uma Guarda Municipal. Em sabatina no programa Troca de Ideias nesta quinta-feira (5), ela detalhou a proposta. Para ela, o projeto que tramita na Câmara de Lajeado “não serve” para as necessidades de segurança pública. Por isso, se eleita, ela promete retirar a proposta e refazê-la.


ouça a entrevista

 


 

“O projeto de Guarda Municipal que está na Câmara não serve para o que a gente precisa. O projeto foi mal redigido”, afirma. “Com dez profissionais tu não faz nada, tu desqualifica a instituição ainda”, analisa. “Com um guarda municipal na rua, ele não faz nem cócegas diante da necessidade em que a gente poderia empregá-lo. E tem muita coisa boa que essa guarda poderia fazer, no sentido daquela intervenção primaria em pequenos conflitos. Isso sim é a atribuição da Guarda Municipal, para liberar a Brigada Militar no sentido de prevenção ao grande crime, e a Policia Civil ter menos trabalho”, pontua.

Márcia ressalta sua postura de ética, coragem e coerência para conquistar a Prefeitura de Lajeado pelos próximos quatro anos. Ela diz que vai promover uma redução da máquina pública. “Quanto mais secretarias, mais burocracias”, afirma. “A gente tem que agilizar a vida das pessoas.” Neste sentido, a candidata do MDB promete corte de secretarias. “A gestão com menos secretarias vai andar mais rápida”, garante.

A ideia é unificar as secretarias de Fazenda, Planejamento e Administração em uma só, em uma pasta de Gestão e Inovação. Conforme ela, dessa forma serão reduzidos cargos em comissão, diretorias e secretários. “Não temos compromisso em acomodar companheiro.”

Entrevista na bancada do Troca de Ideias (Foto: Tiago Silva)

“Lajeado tinha que ser um exemplo de serviço publico, pela arrecadação que tem. E, mesmo assim, Lajeado passa vergonha em serviço público de saúde e educação infantil, diante dos demais municípios à nossa volta”, compara.

Márcia planeja construir quatro Escolas Municipais de Educação Infantil (Emeis). “A gente tem esse compromisso muito forte, e vamos conseguir realizar com a economia necessária.” A emedebista critica a ideia de compra de vagas em escolas privadas para reduzir a fila de espera nas creches. Ela cita, por exemplo, que o município recebe R$ 5 mil anuais por matrícula em escola pública. “Tem esse recurso para as escolas em Brasília sim, a partir do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica”, pontua.

Conforme ela, as novas creches e contratações necessárias de servidores públicos “não vai gerar inchaço da máquina pública“, pois “será uma gestão compartilhada com entidades sem fins lucrativos”.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui