Se entregarmos mais do que o combinado, logo estaremos recebendo mais pelo que entregamos

Vivemos a era do “clientocentrismo”, onde surpreender o cliente é um grande diferencial


0
Gustavo Bozetti, diretor da Fundação Napoleon Hill e do MasterMind RS (Foto: Tiago Silva)

Certa vez, uma família comprou uma mesa branca, linda, de madeira, para a sala de jantar. Na manhã da entrega da sonhada mesa, enquanto os pais trabalhavam, a cuidadora das crianças recebeu os entregadores, que fizeram montagem e entregaram com perfeição o objeto de desejo da família. Após a saída dos instaladores, a cuidadora foi preparar o almoço para as crianças, deixando-as brincando perto da tão desejada novidade.

Minutos depois, a cuidadora percebeu que as crianças haviam pintado toda a mesa branca com pincéis atômicos, daqueles que não saem nem com álcool. O susto foi grande, fazendo com que a cuidadora tentasse limpar imediatamente os desenhos das crianças. Quanto mais a cuidadora esfregava, pior ficava a situação. Quando os pais das crianças chegaram em casa, perceberam o ocorrido e imediatamente ligaram para a fabricante da mesa, explicando o ocorrido. Após compreender a situação, a fabricante e os pais chegaram ao acordo de que a fabricante enviaria um tampo novo para a mesa por um pequeno valor.

Alguns dias depois, a mãe recebeu, pela segunda vez, os montadores da mesa. Após reporem a peça pintada, os montadores começaram a montar de uma segunda mesa, surpreendendo a mãe. Essa segunda mesa veio com uma carta direcionada aos que haviam pintado a primeira mesa, que eram as crianças. Na carta, o fabricante explicava que aquela era a mesa dedicada aos artistas da casa e que aquele era o lugar especial para a família se unir para fazer as pinturas. Os clientes ficaram encantados com o gesto do fabricante, recomendando-os para inúmeros outros clientes.

Essa história revela a importância de um atendimento encantador. Vivemos a era do “clientocentrismo”, onde surpreender o cliente é um grande diferencial. Arrancar suspiros dos clientes, proporcionando experiências únicas, pode ser o fator determinante para o sucesso do negócio. Eis a aplicação do “hábito de fazer mais do que o combinado”, revelado por Napoleon Hill décadas atrás como sendo uma das 17 leis do êxito.

Possivelmente, essa família jamais esquecerá daquele momento. São ações como essa que geram a poderosa onda do “boca-a-boca”, implacável no mundo dos negócios. Como está o seu atendimento? Como está a entrega dos serviços que você presta? Qual é a reação das pessoas que recebem o que você está entregando? Você costuma fazer mais do que está sendo pago para fazer? Pense nisso. Forte abraço e até a vitória, sempre.

Gustavo Bozetti (@gustavobozetti), diretor da Fundação Napoleon Hill e MasterMind RS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui