Secretário de Desenvolvimento Econômico Edson Brum apresenta programa Juro Zero em reunião-almoço da Cacis

Ele apresentou mais detalhes sobre o programa do Estado que disponibilizará R$ 100 milhões para microempresas e empresas de pequeno porte


0
Foto: Divulgação

A Câmara de Comércio, Indústria e Serviços (Cacis) de Estrela realizou, nesta quinta-feira (3), a primeira reunião-almoço do ano. E o convidado para palestrar no tradicional encontro da entidade foi o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Edson Brum, que apresentou mais detalhes sobre o programa Avançar no Desenvolvimento Econômico – Programa Juro Zero.

Na oportunidade, associados da Cacis e demais interessados puderam conhecer mais sobre o programa lançado pelo Estado no dia 20 de janeiro e que passou a vigora desde o dia 1º de fevereiro, visando impulsionar o desenvolvimento do Rio Grande do Sul. O encontro ocorreu no Estrela Palace Hotel.

A presidente da Cacis, Andreia Zwirtes Kich, agradeceu ao secretário estadual por escolher a entidade estrelense para apresentar o programa à microrregião. “Trata-se de um programa oportuno, especialmente neste momento de pandemia, em que muitos empreendedores foram afetados. Esta reunião-almoço, assim como as demais, é uma das formas da Cacis também contribuir por meio de ações que visam o desenvolvimento de Estrela e do Estado”, sublinhou.

Em seguida, iniciou a fala de Edson Brum, que, inicialmente, fez uma breve apresentação das principais ações da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico. Ele destacou que o Rio Grande do Sul voltou ao radar dos grandes investimentos internacionais e que Estado fechou 2021 com um saldo positivo de 147.914 novas empresas.

Posteriormente, trouxe mais detalhes sobre o programa Juro Zero. Em síntese, pelo programa, serão disponibilizados R$ 100 milhões de recursos do Estado na forma de subsídio de juros em operações de crédito para microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte. Desta forma, o programa viabilizará que até R$ 600 milhões sejam financiados pelo Badesul Desenvolvimento e pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), com juros pagos pelo Estado.

Conforme Brum, esses R$ 600 milhões serão injetados na economia gaúcha por meio de aproximadamente 23 mil operações. Nos dois primeiros dias do programa, já foram 1.052 operações via Badesul e 986 via BRDE. “O programa tem previsão de duração de três mês, mas se continuarmos nesta velocidade, vamos disponibilizar esse montante em apenas 10 dias. Mas, vamos trabalhar para que este programa se torne definitivo”, pontuou.

Os limites de crédito serão de até R$ 10 mil para MEIs; R$ 30 mil para Microempresa, e R$ 30 mil para Empresas de Pequeno Porte. Todos terão carência de três meses e o prazo para amortização do Microempreendedor individual é de 12 meses, enquanto os outros dois terão 33 meses para quitar o financiamento.

O secretário acrescentou que a parceira com as cooperativas de crédito está sendo fundamental para o sucesso do programa. “Conseguimos uma grande negociação com as instituições financeiras e esses R$ 100 milhões para os juros com certeza ultrapassarão os R$ 600 milhões em empréstimos. Essa é mais uma ferramenta que Governo do Estado planejou pensando no pequeno empreendedor, que utilizará esse dinheiro para fazer a economia do Rio Grande do Sul crescer”, disse Brum.

Para aderir ao programa de empréstimo com juros subsidiados pelo Governo do Estado junto ao Badesul, as empresas deverão solicitar o financiamento direto pelo site do banco ou presencialmente nas agências do Sicredi, enquanto que pelo BRDE, os interessados poderão solicitar por meio das cooperativas vinculadas aos sistemas Cresol, Sicredi, Sicoob e Unicred.

Além da possibilidade de acesso ao crédito, os empreendedores que aderirem ao programa Juro Zero também terão a oportunidade de receber consultoria e capacitações do Sebrae. A instituição oferecerá acompanhamento aos empreendimentos com conteúdo e informações estratégicas para a tomada de crédito consciente, com o objetivo de reduzir os riscos de inadimplência e ampliar a sustentabilidade financeira dos negócios. AI/RC

Condições para aderir ao programa:

– Empresas devem ter constituição formalizada (Junta Comercial ou Inscrição MEI) anteriormente a 01/12/2020;

– Devem possuir matriz ou filial em funcionamento no RS;

-Devem apresentar regularidade fiscal com a Receita Estadual e apresentar as certidões exigidas pelas instituições financeiras;

– Somente recebem o subsídio dos juros as empresas que estiverem em dia no pagamento das parcelas de amortização do financiamento;

– A avaliação do crédito será realizada pelos bancos e pelas Cooperativas de Crédito parceiras conveniadas ao BRDE e Badesul;

– Devem firmar autodeclaração – uso do crédito na atividade econômica exercida e ciência do direito a apenas um financiamento no Programa por CNPJ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui