Secretário estadual diz que esportes coletivos amadores poderão retornar nos próximos dias

Titular da pasta do Esporte e Lazer, Francisco Vargas, acredita na publicação de um novo decreto, mediante diminuição nos números da Covid-19 no RS.


0
Foto: Ilustrativa/Divulgação

O secretário estadual do Esporte e Lazer, Francisco Vargas, relatou durante entrevista ao programa Redação no Ar desta sexta-feira (21), o trabalho realizado pela secretaria para viabilizar o retorno das atividades esportivas e treinos de atletas profissionais em regiões de bandeira amarela e laranja do Distanciamento Controlado e revelou a perspectiva de retorno das atividades esportivas amadoras.


OUÇA A ENTREVISTA


Secretário estadual do Esporte e Lazer, Francisco Vargas (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

“É muito possível que na semana próxima o Governo consiga editar um novo decreto”, afirma o secretário, considerando uma possível diminuição na intensidade do contágio e nos dados de morbidade da Covid-19. Segundo ele, esse novo decreto possibilitaria as práticas esportivas de nível amador, como; futebol, voleibol, basquete e afins. Praticante de judô, o secretario acredita que esportes com maior contato não devem retornar em 2020.

Vargas ressalta o intenso trabalho de avaliar e encaminhar os protocolos de distanciamento de treinamentos e competições, encaminhado pelas associações esportivas, clubes, academias e similares. O secretário salienta que a decisão final fica a cargo do Governo do Estado e do Comitê Científico de apoio ao enfrentamento da pandemia Covid-19, que analisa com base científica a viabilidade das flexibilizações.

A adesão aos protocolos, como a Nota Informativa 18 da Secretaria da Saúde (SES) é fundamental. A Nota lista 42 recomendações que devem constar nos protocolos das competições esportivas. “São pequenas ações que são importantes nos dias de hoje para não propagarmos ainda mais a doença”, comenta.

Para ele, a liberação da prática esportiva amadora e as competições enfrentam a adversidade da limitação de espaço. O responsável entende que as medidas de Distanciamento Controlado devem ser respeitadas. O secretário frisa que os aspectos da Nota Informativa devem ser observados. “Na medida em que as associações e clubes colocaram em prática a inclusão destes itens, a possibilidade do retorno se torna ainda maior”, declara.

Ao ser questionado sobre o retorno da Divisão de Acesso, o secretário demonstrou compreensão com relação às dificuldades econômicas e financeiras enfrentadas pelos clubes do interior, principalmente devido a impossibilidade a não arrecadação com a venda de ingressos. Segundo ele, sem a adesão dos protocolos de testagem, logística de transportes e outros cuidados com jogadores, a competição não tem possibilidade de retorno. “Pode ser um perigo latente”, analisa Vargas, exemplificando que mesmo em clubes que adotam cuidados máximos, houve contágio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui