Segunda-feira com um novo óbito e 49 casos de Covid-19 atribuídos para o Vale do Taquari

A morte é de um homem de 88 anos, morador de Lajeado. O número de pacientes recuperados na região representa 94,4% do total de casos.


0
Foto: Reprodução / Shutterstock

A Secretaria Estadual de Saúde atribuiu um novo óbito e 49 novos casos de Covid-19 para o Vale do Taquari nesta segunda-feira (28). A morte é de um homem de 88 anos, morador de Lajeado, mas estava internado desde o dia 16 de dezembro no Hospital Estrela. O óbito ocorreu às 17h30 deste domingo (27). A vítima sofria de doença cardiovascular crônica.

Já as novas infecções são em oito cidades da região: Teutônia (18); Lajeado (16), Muçum (seis) e Taquari (cinco).

Os municípios com apenas um caso novo são: Roca Sales, Capitão, Santa Clara do Sul e Coqueiro Baixo. Em Lajeado, conforme a prefeitura, são 6.484 casos confirmados desde o início da pandemia, sendo 47 novos (37 de PCR e dez de teste rápido), ficando com 6.254 casos recuperados, sendo 196 novos (155 de PCR e 41 de teste rápido. São 59 óbitos e 171 casos ativos. Para o Estado, a cidade possui um total de 6.304 casos. A região chegou a um total de 17.156 infecções, com 16.212 pessoas recuperadas (94,4%); 749 casos ativos para o vírus (4,3%) e 195 óbitos (1,13%).

Ao todo, o Vale soma 196 mortes em decorrência do coronavírus, mas uma ainda não foi reconhecida pelo Estado. O município com maior número de óbitos pela doença é Lajeado, com 59; seguido de Taquari (22), Encantado (17); Estrela (14), Teutônia (13), Arroio do Meio (nove), Roca Sales (sete), Arvorezinha (seis), Bom Retiro do Sul (seis), Muçum (sete), Paverama (seis), Cruzeiro do Sul (cinco), Travesseiro (quatro), Pouso Novo (três), Fazenda Vilanova (dois), Tabaí (dois), Marques de Souza (dois), Relvado (dois), Vespasiano Corrêa (dois), Capitão (um), Santa Clara do Sul (um), Progresso (um), Imigrante (dois) e Canudos do Vale (um) e Sério (dois, um deles ainda não reconhecido).

Leitos de UTI

Dos 65 leitos de UTI disponíveis no Vale do Taquari, 47 (72,3%) estavam ocupados às 17h desta segunda-feira (28). Eram 24 pessoas em leitos de UTI geral (51,1%), sem ligação com a Covid-19; 16 com confirmação de coronavírus (34%) e sete suspeita do vírus (14,9%).

O Hospital Bruno Born, de Lajeado, tem 30 leitos de UTI, sendo 20 ocupados (80%). São 18 pacientes na UTI Adulta não Covid (75%); três com suspeita (12,5%) e três confirmados (12,5%) na UTI Covid.

O Hospital Estrela, em Estrela, dispõe de 20 leitos de UTI, sendo que 13 estavam ocupados (65%). São seis com confirmação para a doença (46,2%); um caso suspeito (7,7%) e de seis não Covid (46,2%).

O Hospital de Caridade São José, de Taquari, tem 10 leitos de UTI, sendo que sete estavam ocupados (70%); quatro com confirmação de coronavírus (57,1%) e três com suspeita (42,9%). Não há pacientes em leitos de UTI geral na casa de saúde.

Já o Hospital Beneficente Santa Terezinha, de Encantado, tem cinco leitos de UTI, sendo que três deles estão ocupados com casos confirmados para a doença (60%).

Estado

O Rio Grande do Sul registra nesta segunda-feira (28), 641 novos casos de Covid-19 e chega a um total de 432.241. O número estimado de recuperados é de 408.640 (95% dos casos); em acompanhamento, 15.012 (3%); e 8.536 óbitos no total, sendo 44 deles registrados nesta segunda pelo Estado. As mortes ocorreram entre os dias 18 e 28 de dezembro.

Brasil

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 13h desta segunda-feira (28). São 191.207 mil mortes e 7.486.094 de casos confirmados. Desde o balanço das 20h de domingo (27), sete estados atualizaram seus dados: CE, GO, MG, MS, PE, RN e TO.

O país registrou 331 mortes pela Covid-19 nas 24 horas anteriores ao balanço das 20h de domingo (27), chegando ao total de 191.146 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 625.

A variação foi de -4% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de estabilidade nos óbitos pela doença. Fonte: G1

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

Arte: Grupo Independente

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui