Segundo dia do júri da boate Kiss tem início com depoimentos das testemunhas

Previsão é de que seis testemunhas sejam ouvidas nesta sexta-feira


0
Foto: Divulgação

Teve início às 9h34 desta sexta-feira (2), o segundo dia do julgamento do caso Kiss, no Foro Central de Porto Alegre. A previsão é de que seis testemunhas sejam ouvidas nesta quinta-feira (2), cinco sobreviventes e o engenheiro responsável pelo projeto de isolamento acústico da boate, Miguel Pedroso.

O primeiro a participar da oitiva é Emanuel Pastl. Após, Jéssica Rosado deverá finalizar o turno da manhã dos depoimentos. Na parte da tarde e noite estão programado os espaços para Lucas Peranzoni, Érico Garcia, Gustavo Cador e por fim, o engenheiro Pedroso.

O julgamento tem como réus Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, sócios da Kiss, e Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão, da banda Gurizada Fandangueira.

Como foi o primeiro dia

Nesta quarta-feira (1º), primeiro dia do julgamento do caso, o dia teve início com o sorteio dos sete jurados que irão compor o conselho de sentença do caso da boate Kiss, são eles seis homens e uma mulher. Após, o presidente do tribunal do júri, juiz Orlando Faccini Neto, fez os combinados e considerações finais para que se pudessem dar início às oitivas.

A primeira depoente foi Kátia Giane Pacheco Siqueira, ex-funcionária da cozinha da casa de festas. Seu depoimento durou 4h40 min, e nele, Kátia relatou que demorou para entender o que estava acontecendo. Conforme seu relato, ela acabou desmaiando no interior da boate e, ao acordar, recorda que duas pessoas perguntavam se tinha alguém ali para ser resgatado. De acordo com Kátia, lembra de ter se “agarrado nas pernas” de alguém que estava mais próximo. A sobrevivente teve 40% do corpo queimado no incêndio e realizou cinco cirurgias de enxerto de pele.

O segundo dia foi finalizado com a oitiva da sobrevivente Kellen Feirreira, que teve início às 20h17 e finalizado às 22h10. Ela teve 18% de seu corpo queimado, além de uma de suas pernas amputadas.

Texto: Vinicius Mallmann
regional@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui