Segundo proprietário de estabelecimento, procura por artigos gaúchos aumentou 10 vezes mais durante o mês de setembro

Chapéu tem se destacado entre os itens mais vendidos


0

Com a chegada da Semana Farroupilha e a aproximação do dia 20 de setembro, tem crescido a busca por artigos gaúchos nos estabelecimentos comerciais da região. A mudança na movimentação do público foi percebida desde o início do mês e chega a ser até 10 vezes maior que os outros períodos do ano.

É o que explica Augusto Uhry, proprietário da Augusto Uhry encilhas e pilchas de Lajeado. Segundo ele, inicialmente houve uma busca maior pelas encilhas, em razão das cavalgadas para buscar a chama crioula. Já nos últimos dias, o movimento tem se concentrado na venda de pilchas. “No mês de setembro é muito significativo o aumento. Da pra se dizer que estamos vendendo, pelo menos, umas 10 vezes mais que o normal”, afirma.


ouça a reportagem


 

De acordo com o empresário, neste ano tem chamado atenção a busca por um item específico. Por mais que alguns clientes tenham comprado a pilcha completa, o chapéu é o que mais tem vendido até o momento. “Muitos falaram que queriam só o chapéu pois já tinham o resto. Enquanto isso, outros também alegaram que comprando apenas o chapéu já estariam caracterizados”, explica Uhry.

Para quem tem o interesse de adquirir o trajo completo é necessário desembolsar cerca de R$ 1,3 mil. “Quem não tem nada vai acabar gastando um pouco mais, porque vai ter que comprar a bota, a bombacha e a guaiaca. Muitas vezes a camisa a pessoa já tem, mas quer comprar uma nova. Ai tem o chapéu ou a boina. Então, vai gastar esse valor em média para sair no gabarito”, projeta.

Conforme Uhry, a procura tem sido boa entre todos os públicos, com um destaque maior para os homens e as crianças. “Afinal de contas, teve programação na escola. Então, veio a família toda, mas o público masculino é quem participa mais das funções de churrasqueadas, jantas e piquetes”, relata.

Trabalho artesanal

No meio tradicionalista, o empresário é reconhecido pelo trabalho artesanal que desenvolve na fabricação de encilhas. Com um serviço manual em couro, ele leva cerca de um dia para produzir uma cela ou um basto.

“O arreio que o pessoal vem comprar aqui é feito por nós. São modelos e produtos desenvolvidos por nós mesmos. O que ele vai comprar aqui, não vai achar em outra loja do Rio Grande do Sul. Muitas vezes o pessoal vem de longe pra procurar os nosso produtos”, destaca.

Para os próximos dias, Uhry projeta manter o mesmo horário de funcionamento da última semana, sem fechar ao meio dia e com atendimento até às 19h30. “Na parte do domingo nós vamos aguardar o pessoal. Vamos vir tomar um mate de manhã cedo na loja. Então, se tiver alguém que se apertou, é só dar uma ligada ou chamar no WhatsApp que nós atendemos sem problema nenhum”, conclui.

O estabelecimento fica localizado junto ao km 1 da ERS 421, no Bairro Conventos, em Lajeado. O telefone para contato é o (51) 9 9907-1495.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui