Sem evolução no diálogo com a RGE, prefeito de Imigrante deve recorrer à Justiça

Empresas do município têm sofrido com constantes quedas de energia elétrica. "É inimaginável um empreendedor ficar três dias da semana sem luz", diz Germano Stevens


0
Germano Stevens, prefeito de Imigrante e coordenador do G7 (Foto: Divulgação / Prefeitura de Imigrante)

Sem evolução no diálogo com a RGE Sul Distribuidora de Energia S.A, o prefeito de Imigrante e coordenador do G7, Germano Stevens, deve entrar com uma ação judicial contra a concessionária. “Talvez seja um caminho mais moroso, mas o único em que a RGE tenha mais respeito com os prefeitos e usuários da operadora.”

Stevens explica que, como gestor, não tem um canal direto onde possa conversar e ter decisões. “É pelo 0800 ou pelo site, e você não fala com uma pessoa. Você fala com uma máquina. O problema cai na mesa do prefeito e nós não temos como resolver.”

“Sempre tento resolver todas questões no diálogo. Fugir de uma briga não é bonito, mas é bom. Porém, a RGE trata as questões de forma que não dá mais para aceitar. Quanto mais a gente fala, mais parece que estamos falando com uma parede.”

O prefeito se diz preocupado com a possibilidade de perder empresas no município devido à falta de luz. “É inimaginável um empreendedor ficar três dias da semana com falta de energia [..]. A RGE já fez algo paliativo, mas a promessa é que tenha resolvido o problema. Mas veja bem, isto já vem acontecendo há sete, oito anos.”

Leia também:

“Tem uma rua aqui em Imigrante que queremos pavimentar, mas não está sendo possível, porque a RGE não troca os postes de madeira que estão pendurados pelos fios. Isto é inadmissível”, afirma em tom de indignação.

De acordo com Stevens, o assunto da falta de energia e estiagem, que são de interesse de toda a região, é a Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat) que conduz. “Como G7, a gente tenta trabalhar questões que não sejam tão macro.”

Programa Acelera Turismo do G7

O Programa Acelera Turismo tem o objetivo de alavancar o crescimento do turismo dos municípios que compõem o G7 (Teutônia, Fazenda Vilanova, Paverama, Poço das Antas, Westfália, Imigrante e Colinas), e é coordenado pelo Comitê Gestor, do qual fazem parte os sete municípios, Amturvales, Sebrae, Emater, Senar, Senac, Univates e a Cooperativa Sicredi Ouro Branco.

O planejamento do programa iniciou no dia 31 de agosto e se estenderá até o dia 30 de abril de 2023. Os primeiros seis meses são dedicados à elaboração do plano de ações e um ano totalmente voltado para a sua execução. O programa envolve etapas microrregionais e regionais com ações de embelezamento das cidades, projetos de sinalização turística padrão, infraestrutura, consultorias de comunicação e posicionamento digital, além de cursos de qualificação de atendimento ao turista, garçom, camareira e recepção hoteleira destinados às empresas e seus quadros de funcionários.

O Acelera Turismo é voltado às empresas já existentes ou em fase inicial e também pessoas físicas que estejam atreladas ao setor do turismo, entre eles: atrativos turísticos privados (rurais ou urbanos), atrativos turísticos públicos, gastronomia, meios de hospedagem, comércio e serviços ligados ao turismo, além de potenciais investidores.

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui