Sementes e mudas piratas

Estimativas apontam que sementes piratas representam para o agronegócio brasileiro prejuízos de R$ 2,5 bilhões


0

É de nosso costume levar ou buscar sementes e mudas quando fazemos visita. De uma certa forma, é bom desde de que se tenha segurança que não estamos ou recebendo pragas e doenças. E isso não é fácil. Mesmo que seja para uso doméstico.

Consideramos sementes e ou mudas piratas aquelas que são vendidas no mercado informal, sem certificação de origem e validade. Sem garantia que teve acompanhamento de responsabilidade técnica na produção. É mais uma garantia que não estará levando pragas e doenças para a sua propriedade.

Estimativas apontam que sementes piratas representam para o agronegócio brasileiro prejuízos de R$ 2,5 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem). Só na soja um terço da semente utilizada é pirata.

O agricultor faz contas para reduzir o custo de produção, mas o risco é muito alto no caso de introdução de pragas e doenças. O custo do tratamento será maior do que a dita economia. E piora quando o cultivar não é o desejado ou misturas de sementes.

Estamos no período dos cultivos de inverno e a semente é fundamental que seja de qualidade e adaptada para a região a ser plantada. Vale para trigo, aveia grão e cevada. As pastagens de inverno também, rendimento de massa verde e germinação depende da qualidade da semente e certeza do que está sendo plantado.

Nas hortaliças as sementes representam entre 8% e 10% do custo de produção. Quantas vezes se usa as próprias sementes ou de vizinhos sem ter a certeza de que não estão doentes. Com a melancia é comum usar sementes piratas e depois em a lavoura ter frutas desuniformes. Muitas vezes sou perguntado sobre o plantio de sementes de frutas e hortaliças compradas no mercado. Boa quantidade são hibridas e o uso das sementes para o segundo plantio possivelmente dará produção de menor qualidade e quantidade. É mais recomendável a compra de mudas de hortaliças com origem legal, se ganha tempo e é mais seguro. Incluo também as plantas ditas bioativas, medicinais e temperos, principalmente com a identificação correta.

Está chegando a época de plantar mudas frutíferas no pomar. Para amplia-lo ou substituições de mudas improdutivas ou velhas. Importante que as novas mudas sejam de origem de viveiros certificados. Uma garantia de genética e fitossanitária. Quanta muda foi plantada e depois de três ou quatro anos vem a surpresa não foi aquela que queria. Existe legislação para produção, comercialização e utilização de mudas. A Secretaria da Agricultura do Estado e Ministério da Agricultura fiscalizam a atividade.

Por aqui entre as mudas mais comercializadas estão os citros e se deve ter muito cuidado para não receber de presente doenças como cancro cítrico, greening, fungos e pragas. Outra bastante comercializada são as videiras que chega a 50 doenças e pragas que podem vir com a introdução de mudas contaminadas. E lembro que quem for comprar mudas enxertadas o “calo” nó entre o cavalo e a nova planta não pode ser enterrado. Quantas vezes já fui fazer visitas e ouvi reclamações nasceu uma planta cheia de espinho.

O moranguinho também é bem comercializado nesta época e da mesma forma a origem deve ser conhecida e com garantia de qualidade.

O sucesso da colheita começa com as sementes e mudas de qualidade.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui