Sequestro de médica de Erechim foi planejado há dois anos, diz Polícia Civil

O primeiro cativeiro seria em Itá, em Santa Catarina, mas foi transferido para Cantagalo, no Paraná.


0
Foto: RIC Record TV Paraná / Especial / CP

A Polícia Civil, através do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), divulgou novos detalhes do sequestro da médica ginecologista Tamires Gemelli da Silva Mignoni, 30 anos, de Erechim, que foi resgatada do cativeiro na noite da última quarta-feira em Cantagalo, no Paraná. Na manhã desta sexta-feira, o titular da 1ª DP de Roubos, delegado João Paulo de Abreu revelou que o plano de sequestrar a vítima, arquitetado pelo vigilante que agora está preso, foi planejado há dois anos, mas a primeira tentativa na época não teve êxito.

No final da manhã de sexta-feira passada, dia 16, o arrebatamento teve sucesso. Conforme o delegado João Paulo de Abreu, o cativeiro inicialmente seria em Itá, em Santa Catarina, na divisa com o Rio Grande do Sul. No entanto, o local foi alterado devido à repercussão do caso no RS. Em Cantagalo, cidade vizinha de Laranjeiras do Sul, onde o prefeito Berto Silva é o pai da vítima, a médica foi colocada na segunda-feira passada em uma residência alugada pelo vigilante em um bairro residencial de classe média. “As casas vizinhas são muito boas, mas a residência em que ela estava era mais desgastada pelo tempo. A locação foi por 15 dias”, observou o titular da 1ª DP de Roubos.

Fonte: Correio do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui