Setor de transporte: “Região não terá grandes impactos devido a sua organização”, afirma vice-presidente do Setcergs

Com a alta no preço dos combustíveis, Diego Tomasi projeta uma revolução no setor


0

Um dos setores mais afetados pelo reajuste nos preços dos combustíveis anunciado pela Petrobras na última quinta-feira (10) é o de transportes.

Segundo o vice-presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística no Estado do Rio Grande do Sul (Setcergs), Diego Tomasi, com a alta no preço dos combustíveis, o setor vai passar por uma revolução. 

“Para as transportadoras que não fazem uma boa gestão vai ser difícil superar esse momento”, declara. O vice-presidente da Setcergs destaca a eficiência na gestão das empresas do Vale do Taquari. “A região não vai ter grandes impactos devido a sua organização”, comenta.

O valor do repasse está entre os maiores da história. Com o aumento do preço do diesel na bomba, Tomasi, que também é diretor da Fetransul e diretor da Tomasi Logística, afirma que o segmento prevê o repasse desse custo aos fretes e aguarda também aumentos de preços de pneus, lubrificantes e outros insumos. 

Tomasi ressalta que devido ao fato do Brasil depender do transporte rodoviário, a alta no frete vai impactar outras operações. “90% do que é produzido é transportado por caminhões”, diz. O sindicalista afirma que a entidade vem cobrando das autoridades ações para minimizar os impactos do aumento dos preços.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui