Sindicato dos Professores Municipais de Lajeado irá buscar prefeitura para que repense atividades presenciais

Presidente da classe, Rita de Cássia Quadros da Rosa, reivindicou a vacinação para os professores e funcionários da educação.


0
Foto: Reprodução / Arquivo/Natalia Ribeiro)

Mesmo em bandeira preta as aulas da rede de educação infantil e fundamental podem seguir com suas atividades. No entanto, conforme a presidente do Sindicato dos Professores Municipais de Lajeado, Rita de Cássia Quadros da Rosa, o clima é de muita insegurança, principalmente após a morte de uma monitora da Emei Criança Feliz, que morreu vítima de Covid-19. “Seguir trabalhando após ter perdido uma colega vítima da Covid-19 passa uma impressão de que nós somos apenas números descartáveis, uma sensação de desumanização”, desabafa.

As atividades nas escolas infantis começaram no dia 20 de janeiro com atividades lúdicas e de recreação para os alunos, e no dia 8 de fevereiro com o ano letivo. Rita de Cássia conta que o ambiente escolar, no momento, não é o ideal, e que a vacina contra o coronavírus é o desejo da classe de professores. “Queremos para ontem a vacinação dos professores e de todos os profissionais da educação. Queremos voltar o quanto antes de forma segura, para cumprir com nossa função que é educar”, destaca.

Quanto aos protocolos de segurança exigidos nas escolas, a presidente fala que as crianças não conseguem segui-los corretamente. “Os protocolos são criteriosamente observados pelos professores, mas não conseguimos garantir que crianças consigam cumpri-los, principalmente a questão do distanciamento. Você consegue garantir que uma criança na educação infantil vá manter o distanciamento de 1,5 metros de um colega?”, questiona.

Ela conta que o sindicato iniciou um levantamento sobre a estrutura das escolas. “Existem muitos professores da rede municipal afastados por covid-19 ou por familiares que se contaminarem, inclusive estudantes afastados”, revela.

Conforme Rita de Cássia, no momento não está prevista nenhuma manifestação devido ao momento atual, mas que a classe irá buscar o governo municipal para que dê um passo atrás e repense as atividades presenciais.

Secretaria da Educação muda protocolo de comunicação de casos suspeitos nas escolas

Para garantir a transparência das informações acerca de casos suspeitos de Covid-19 na rede de educação municipal a Secretaria da Educação alterou o protocolo de comunicação sobre casos suspeitos entre profissionais das escolas. Até agora, as famílias eram comunicadas apenas quando havia confirmação do exame do profissional, em razão de se buscar proteger a privacidade do profissional enquanto o caso ainda fosse suspeito. A partir de agora, as escolas comunicarão as famílias sempre que um profissional, mesmo sendo apenas caso suspeito, se afaste das atividades. A nota de esclarecimento, assinada pela Secretária Municipal da Educação, Vera Plein, foi enviada às direções das escolas municipais nesta quinta-feira (25).

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui