Sindicatos se reúnem em Lajeado para reivindicar ganho real aos funcionários da BRF

Empresa ofertou 50% da inflação na campanha salarial 2020-2021, conforme entidades de classe.


0
Integrantes de sindicatos entregaram panfletos explicativos aos funcionários da BRF (Foto: Caroline Silva)

Com panfletos, faixas e carro de som, representantes de sindicatos interagiram com os trabalhadores da BRF, durante esta quinta-feira (1°), na entrada da indústria, em Lajeado, na Rua Carlos Sphor Filho, no Bairro Moinhos. A motivação do grupo é a Campanha Salarial Unificada 2020-2021, na qual, segundo eles, a empresa ofertou 50% da inflação. Os grupos pedem ganho real e manutenção de benefícios.


OUÇA A REPORTAGEM 


O ato foi organizado pela Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do RS, Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Avícolas e Alimentação e Geral de Lajeado e Região (Stial) e entidades coirmãs. A Caravana de Luta em Defesa dos Trabalhadores de Frigoríficos, como foi chamada, passou por Serafina Corrêa, na segunda-feira (28), Marau, na terça (29) e Chapecó, em Santa Catarina, na quarta-feira (30). O último município visitado foi Lajeado, das 9h às 17h desta quinta-feira.

Presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do RS, Paulo Madeira (Foto: Caroline Silva)

Presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do RS, Paulo Madeira alega que os funcionários da BRF foram humilhados no momento em que deveriam ser reconhecidos pelo seu empenho, em especial por conta da pandemia da Covid-19. Em Lajeado houve surto da doença, que chegou a provocar o fechamento da planta. “Foi muito decepcionante recebermos uma proposta com o oferecimento de só 50% da inflação, porque a inflação a gente não negocia. Houve indignação por parte dos nossos sindicalistas e com os nossos trabalhadores”.

Finalizada a caravana, os sindicatos terão nova reunião para negociar com a empresa, na manhã da próxima terça-feira (6). O presidente do Stial, Sérgio Luís Fagundes, participou do trajeto pelos municípios e deve ir a Serafina Corrêa, onde acontecerá o encontro. Ele diz que “o trabalhador está nos pressionando. Eles querem aumento. Desde maio que a gente só tem perdas e perdas. Eles (BRF) querem dar só 50% da inflação e isso a gente não vai aceitar. Também não querem dar o retroativo de maio”.

Nesse momento o presidente do Stial descarta a possibilidade de greve. Já o presidente da Federação coloca que “esperamos que a BRF nos chame para a mesa (de negociação) com uma proposta melhor, que reconheça o esforço do nosso trabalhador, senão a gente vai ter que tomar outros caminhos, que não a caravana”.

Uma das alegações do grupo para a valorização financeira almejada é o trabalho, que teria sido redobrado por conta da pandemia. A Federação defende que a produção teve aumento, impactando em melhora nos resultados de importação e exportação da BRF. Em Lajeado são cerca de três mil trabalhadores. Os participantes do ato fizeram uso de máscara. Havia álcool gel à disposição dos interessados.

A empresa

Procurada pela reportagem, a BRF informou que “as negociações para Acordo Coletivo de Trabalho 2020 estão em curso e que mantém um diálogo frequente com as entidades sindicais. A Companhia salienta também que respeita a liberdade de manifestação e reivindicação sindical”.

Texto: Natalia Ribeiro
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui