Situação da estiagem em Cruzeiro do Sul pauta reunião do Comitê da Década da Agricultura Familiar

Estimativa atual é que as perdas relacionadas à seca já se aproximem de até 70% em alguns pontos do município


0
Grupo é formado por representantes de diferentes órgãos ligados a agricultura familiar (Foto: Artur Dullius)

Na manhã desta quinta-feira (16), foi realizada a 1º reunião do Comitê da Década da Agricultura Familiar de Cruzeiro do Sul. O encontro aconteceu junto à Câmara de Vereadores do município. Entre os principais assuntos discutidos esteve a estiagem, que atinge produtores em diferentes cidades da região.

A atividade contou com a participação do coordenador regional do STR, Marcos Hinrichsen, do vice-prefeito de Cruzeiro, João Celso Führ, do secretário de Agricultura, José Paulo Mallmann, além de representantes da Emater, vereadores, agricultores e da presidente da ExpoCruzeiro, Aline Moreno.


ouça a reportagem

 


Segundo Hinrichsen, o comitê foi formado durante a visita do projeto Fetag-RS em Conexão, no mês de novembro. “Esse comitê vem de uma demanda ouvindo aos anseios das nossas comunidades e ele foi criado justamente para construir de forma coletiva daquilo que é necessário para mudar aquela realidade que hoje atrapalha a vida dos agricultores”, explica.

As cheias e a estiagem foram os primeiros pontos debatidos durante a reunião. A estimativa atual é que as perdas em relação à seca já se aproximem de até 70% em alguns pontos do município. “A estiagem é uma realidade que a gente vive neste cenário atual. Queremos ver o que podemos contribuir com os nossos produtores para poder melhorar. Existem várias políticas públicas, até mesmo o decreto de emergência. Então, precisamos avaliar os números para ver o que pode ser feito”, relata o coordenador.

Grupo é formado por representantes de diferentes órgãos ligados a agricultura familiar (Foto: Artur Dullius)

Os representantes ainda discutiram sobre os problemas relacionados ao fornecimento de energia elétrica em alguns pontos da cidade e a possibilidade de um maior aproveitamento dos produtos da agricultura familiar na merenda escolar. “É um grupo formado por entidades que possuem algum tipo de ligação com a agricultura familiar. Às vezes, as demandas ficam sobrecarregadas para um ou outro órgão e queremos aqui dividir as tarefas e neste contexto construir saídas para os gargalos do nosso trabalhador do campo”,conclui.

Durante o encontro, ficou definido também que as reuniões devem acontecer a cada dois meses. A próxima atividade está prevista para o fim do mês de fevereiro.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui