Slan realiza encontros de formação com profissionais

Entidade atende 643 crianças e adolescentes.


0
Foto: Renata Leal

A equipe da Sociedade Lajeadense de Atendimento à Criança e Adolescente (Slan) participou, durante a última semana, de diversos encontros de formação profissional. Nos encontros, foram abordadas questões administrativas, pedagógicas, de vigilância sanitária e do Plano de Contingência por conta do Covid-19. Também planejamento com os Planos de Ação com projetos pedagógicos para as crianças de 2 a 5 anos da Educação Infantil e Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) com planos para oficinas para os jovens de 6 a 15 anos.

A coordenadora pedagógica Angelisa Klein conta que a AME cedeu gentilmente o espaço para que os aproximadamente 70 profissionais da Slan pudessem participar do encontro com distanciamento e todos os protocolos de segurança. “Rosane que é nossa parceira há anos e nos auxilia em diversas formações e reuniões de pais, tem uma linguagem que atinge todos os públicos e setores. Neste momento, todos puderam pensar nos desafios do ano passado e também planejar 2021”, diz.

Inicialmente, a Slan seguirá de forma híbrida com a proposta de atender o número máximo de crianças e jovens. “Atenderemos 50% cada semana. Estamos retomando as atividades e queremos receber o máximo de pessoas que tivermos suporte”. Atualmente, a Slan atende 643 crianças e adolescentes.

Encontro com Rosane

Rosane Tünnermann, psicóloga e teóloga, com mais de 30 anos de experiência, faz atendimentos individuais e coordena grupos de liderança, formando equipes. O encontro contou com três momentos, entre eles, uma percepção do que aconteceu em 2020, quais os impactos a nível pessoal, a partir do que tinham imaginado e o que realmente aconteceu, fazendo com que refletissem sobre o que ganharam, o que perderam, o que superaram e como se encontram hoje. No segundo momento refletiram quais os medos e emoções que estão trazendo e o que enfrentaram.

Semana de formações: Slan realizou encontro com a psicóloga Rosane Tünnermann (Foto: Renata Leal)

Já no terceiro momento, Rosane conversou com os profissionais sobre o que a Slan precisa em 2021 para enfrentar o ano reconstruindo tudo o que foi perdido. “O pessoal é muito participativo. Eles compartilharam, perceberam e avaliaram que ganharam muito com toda essa crise. Entenderam como um período e oportunidade de fazer dessa crise uma reinvenção, reconstrução e recriação da história”.

De acordo com Rosane, coisas boas acontecem com bons e maus e desgraças também. “O que muda é o que fazemos com o que acontece com a gente. Os colaboradores da Slan conseguiram ter essa resiliência e reconstrução. Também trabalhamos a inteligência emocional, como perceber os clientes da Slan, de não agir baseado nas emoções, organizando sentimentos e pensamentos para que todas as ações retomadas com pais, crianças, jovens e profissionais sejam saudáveis, inteligentes e que tragam contribuição social e alegria como um todo”, diz. AI/VM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui