Solicitações da agricultura regional são pauta na Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do RS

No encontro foram abordados os efeitos do fenômeno La Niña, que se caracteriza pelos baixos índices de chuvas


0
Foto: Divulgação

O secretário municipal de Agricultura de Estrela, Douglas Sulzbach, realizou visita à Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Rio Grande do Sul (SFA/RS) nesta quinta-feira (3). Representando a Associação dos Secretários da Agricultura dos Municípios do Vale do Taquari (Asamvat), a qual preside, e acompanhado do vice-presidente Marco Aurélio Rohr, ele foi recebido pela superintendente da SFA, Helena Pan Rugeri. Na pauta do encontro, a situação do setor agropecuário da região, uma referência em muitas áreas, mas que sofreu muitos impactos nas últimas semanas, principalmente em razão da estiagem; e a solicitação de medidas que visem amenizar o contexto.

De acordo com Sulzbach, no encontro foram abordados os efeitos do fenômeno La Niña, que se caracteriza pelos baixos índices de precipitação pluviométrica, o que é muito ruim para a agricultura. “Os impactos provocados, de perdas comprovadas no rendimento e na produção da pecuária de leite e corte, das culturas de grãos e forrageiras, sobretudo nas lavouras de milho, soja e pastagens, foram intensas, e isso traz um prejuízo não apenas para nosso agricultor da região, mas para a economia de toda o Estado, pois temos muita importância e peso nesta área e somos referência em muitos segmentos”, diz. “Isso reflete na perda da capacidade de investimento e custeio das atividades agrícolas pela conjuntura de alta volatilidade de preços dos insumos e em decorrência também da alta da inflação e crise econômica gerada pela pandemia”, completa.

Sendo assim, os representantes da Asamvat entregaram o ofício à superintendente, no qual entre as solicitações a associação pede a repactuação das parcelas de custeios agropecuários vincendas em 2022; um bônus adimplência de 50% para a liquidação das parcelas de custeios agropecuários e de investimento vincendas em 2022; subsídio de juros nas operações de crédito rural para agricultura familiar; criação de linha de crédito emergencial com juros zero; prazo de até 10 anos e bônus adimplência de 30% no valor da parcela; implementação de subsídio para o milho balcão da Conab com objetivo de viabilizar as atividades de produção; aquisição de leite via Conab para fomentar a manutenção dos preços pagos ao produtor e viabilizar a atividade; ampliação do zoneamento agrícola para a semeadura da soja e milho; e revisão da legislação ambiental de modo a interpretar a reservação de água como atividade de interesse social em áreas de preservação permanente, com a devida recuperação e ampliação da área protegida.

De acordo com Sulzbach, Helena Pan Rugeri disse entender a situação e que fará o possível para atender ao máximo as demandas. “Ela destacou que sabe da urgência da situação e do contexto, disse não ser um problema apenas do Vale do Taquari, mas que sabe da importância e referência de nossa região, e que por isso iria estudar com atenção nossos pedidos”, atesta. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui