SP anuncia fim da obrigatoriedade do uso de máscara ao ar livre

Medida vale a partir do dia 11 de dezembro. Decisão é baseada no índice de vacinação que chegou a 75% da população no estado


0
Foto: AFP / Divulgação

O Governo do Estado de São Paulo retirou a obrigatoriedade do uso de máscara ao ar livre a partir do próximo dia 11 de dezembro, após chegar a 75% da população totalmente imunizada contra a Covid-19.

A medida foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB), em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (24), no Palácio dos Bandeirantes.

Ainda segundo o governador, a previsão é que até 30 de novembro o estado chegue ao índice de 85% da população vacinada.

Após o anúncio da medida, o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, fez um apelo para que toda a população continue se imunizando e conclua o esquema vacinal contra o novo coronavírus. “É dessa maneira que garantiremos que o número de casos, internações e óbitos continuará a cair”, afirmou o secretário.

De acordo com o Vacinômetro, até o momento, 76.618.949 doses foram aplicadas em todo o estado de São Paulo, dasquais 37.930.239 de primeira dose, 33.324.993 de segunda dose e 1.173.498 de dose única. Mais 4.190.219 doses de reforço foram recebidas.

Atualmente, o estado tem 1.136 pessoas em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). A taxa de ocupação é de 21,6% no estado e de 27,9% na Grande São Paulo.

É precoce pensar em Carnaval, considera comitê

Acerca da realização do Carnaval no estado de São Paulo, embora essa decisão caiba a cada prefeitura, o governo se posicionou com cautela.

Paulo Menezes, coordenador do Comitê Científico de Combate à Pandemia no Estado de São Paulo, afirmou ser precoce pensar na realização das festividades em fevereiro.

“Hoje entendemos que ainda é precoce pensar numa situação de multidões nas ruas, com aglomeração, mesmo que seja daqui a três meses. Temos boas perspectivas com o avanço da cobertura vacinal no estado. Também temos o exemplo de conjugar o avanço da cobertura com a manutenção de outras medidas que têm garantido o sucesso no enfrentamento da pandemia”, disse Menezes. Ele afirmou, em nome do comitê, que “não é o momento de pensar em grandes aglomerações como no Carnaval”.

Em sintonia com o coordenador, João Doria também demonstrou cuidado ao falar do Carnaval.

“Temos sempre a medida da cautela para que prefeitos e prefeitas possam agir num campo seguro e adequado. Prefeituras podem ser mais rigorosas que o estado; menos, não”, disse o governador.

Fonte: R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui