Sua vida está pesada ou você leva uma vida leve?

Muitas empresas crescem, mas continuam utilizando o mesmo barquinho para fazer a travessia


0
Foto: Ilustrativa

Um soldado se perdeu de sua tropa em meio a selva. Depois de dias se deslocando com inúmeras adversidades, sobrevivendo em função do amplo conhecimento adquirido ao longo de sua vida, guiando-se pelo sol e pelos astros, o soldado se deparou com um grande rio. Sua trajetória exigia que fosse feita a travessia daquele obstáculo para que a direção adequada fosse mantida, porém seria impossível, naquelas condições, atravessar aquele rio a nado. Imediatamente, o soldado resolveu construir uma pequena embarcação para que ele pudesse fazer a travessia. Algumas horas depois, o soldado pôs o barco construído com madeira na água, subiu nele e começou a remar.

A travessia foi tão bem sucedida que o soldado decidiu carregar o barco consigo durante todo o restante do seu percurso, uma vez que ele poderia se deparar com outro grande rio que exigiria uma embarcação para que a nova travessia fosse feita. Dias se passaram. A velocidade de deslocamento do soldado havia reduzido drasticamente, já que ele precisava carregar aquele peso nas costas. Foi então que o soldado, enfim, encontrou um vilarejo de onde pediu socorro, sendo resgatado poucas horas depois, sem nunca mais precisar usar o fatídico barco que havia construído e se apegado. Mas o que podemos aprender com essa história?Existem inúmeros ensinamentos aqui. Um deles é sobre a importância de sabermos nos orientar em meio ao caos.

Há muitas pessoas que seguem o efeito manada, indo atrás dos outros, sem saber se aquele é realmente o trajeto e a direção desejada. Quando dominamos os princípios e os fundamentos daquilo que estamos fazendo, conseguimos aumentar o nosso “grau de viração próprio”, ou seja, conseguimos pensar e agir por nós mesmos, tornando-nos “capitães de nossas almas e senhores dos nossos destinos”.

Outro aspecto de profunda relevância é que muitos de nós nos apaixonamos por algumas coisas em nossas vidas que acabam se tornando um grande peso para nossa caminhada. Há empresários que possuem funcionários antigos e improdutivos, mas que, em algum momento da vida, foram importantes. Estes funcionários podem ser o “barco” nas costas da empresa, deixando a operação mais morosa, mais cara e menos produtiva. São pessoas que já foram boas, mas que para as adversidades atuais, não servem mais. Estas pessoas podem estar prejudicando a sobrevivência da organização que pode estar inserida em um cenário de profunda competitividade.

Além disso, o grande segredo do soldado não está na embarcação que ele construiu, mas, sim, no conhecimento que ele possuía para construir a embarcação. Caso surgisse outro grande rio que precisasse ser atravessado, o soldado poderia construir outra embarcação. Para finalizar, outra lição é a de que aquela embarcação tinha uma capacidade limitada de transporte. Muitas empresas crescem, mas continuam utilizando o mesmo barquinho para fazer a travessia. Algumas estão afundando, mas não possuem líderes capazes de tomar as providências necessárias para que a situação não fique ainda pior.

Há momentos em que precisamos comprar um novo barco, mais moderno, mais veloz, com mais tecnologia, para que possamos superar as adversidades que vão surgindo em nossas vidas. Espero que esta metáfora te traga algumas reflexões e te inspire a fazer as transformações que a vida está exigindo de você, seja você quem for. Forte abraço e até a vitória, sempre.

Texto por Gustavo Bozetti (@gustavobozetti), diretor da Fundação Napoleon Hill e MasterMind RS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui