Sua vida tem emoções que parecem um “café da manhã de hotel”?

"Saboreie as sortes da sua vida como se fosse um café da manhã de hotel", afirma a jornalista, psicóloga e psicanalista clínica Dirce Becker Delwing


0
Foto: Pixabay / Ilustrativa

Talvez com você também seja assim. Na hora de fazer a reserva de um hotel, um dos critérios que mais conta é a avaliação sobre o café da manhã. Na verdade, trata-se de um dos momentos esperados da estadia. Eu adoro café de hotel. Já cheguei a ir a hotéis, de manhã cedo, para tomar café mesmo sem estar hospedada. Na saída, me dava conta de que nem tinha me servido de comidas tão diferentes. Acabo sempre comendo as mesmas coisas. O prazer está na disposição organizada dos alimentos, na variedade de itens, na possibilidade de ter opções nutritivas e balanceadas à disposição e no clima do ambiente.

Eu estava vivendo um desses momentos de alegria no desjejum quando me dei conta de um comportamento que andava repetindo. Como já referi, costumo me servir de coisas muito semelhantes em todos os lugares onde me hospedo. Quase sempre, passo olhos pelas vasilhas onde estão as comidas quentes e salgadas e não me sirvo de nada. Acontece que, dessa vez, vi que tinha um prato com tomates assados, uma das minhas comidas favoritas. Acabei comendo e estava delicioso.

No dia seguinte, fui ao restaurante do hotel com a expectativa de repetir o prato, o que não aconteceu naquela manhã e nem nas ocasiões seguintes. Teve um dia em que havia um espaço vazio entre as panelas. Passei o tempo todo de olho para ver se iriam repor o item faltante. Eu tinha uma grande variedade de guloseimas na minha frente, podia me deliciar com diferentes tipos de comidas, estava diante da oportunidade de saborear alimentos que nunca tinha provado, mas eu insistia com aquilo que não estava no buffet. Quantas vezes, eu atuo de forma semelhante na vida. Olho para aquilo que não tenho e esqueço de valorizar o que já conquistei. Quantas vezes, reparo o que falta no outro, as virtudes que ele não possui, as habilidades ausentes e, assim, diminuo o valor das suas qualidades, dos seus pontos fortes e dos seus acertos.

Pensando nisso, proponho a você que está me acompanhando para que, no dia de hoje, nas mais diversas situações, treine seu olhar para que veja por primeiro as coisas que você já tem, aquilo que você já conquistou. Agradeça por isso. Saboreie as sortes da sua vida como se fosse um café da manhã de hotel, delicie-se com os bons encontros que você terá com as pessoas que encontrar pelo seu caminho.

Texto por Dirce Becker Delwing, jornalista, psicóloga e psicanalista clínica

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui