Surto de coronavírus leva Univates a fechar laboratório do Unianálises e fazer higienização no local

Espaço é utilizado para certificação de produtos alimentícios, do agronegócio e afins. É diferente do LAC, que realiza diagnóstico de Covid-19. No total, a universidade tem 14 funcionários confirmados com coronavírus.


1
Foto: Arquivo / Divulgação

A Univates fechou na sexta-feira (1º) o Unianálises, em que é feito a certificação de produtos alimentícios, do agronegócio e afins, após ser identificado um surto de coronavírus no local. O espaço conta com cerca de 70 funcionários. “Há uma semana, uma funcionária começou a apresentar sintomas do coronavírus. Ela foi testada e deu positivo, e foi afastada em seguida”, explica o reitor, Ney Lazzari. “Nós começamos a testar outros profissionais que trabalham com ela e logo percebemos que havia um surto”, conta.


ouça a entrevista

 


Pelo menos nove funcionários testaram positivo. A partir disso, a instituição resolveu fechar o espaço e realizar uma higienização e desinfecção. Em entrevista à Rádio Independente, o reitor não citou prazo para retorno das atividades. A universidade fez o mapeamento, mas não conseguiu chegar ao primeiro infectado, na origem do surto.

A Univates conta com cerca de 60 laboratórios. A maioria deles foi fechado em meio à pandemia de coronavírus. Os espaços utilizados pela área de saúde e prestação de serviços continuaram abertos, com as devidas restrições sanitárias. O Unianálises fica a cerca de 500 metros do Laboratório de Análises Clínicas (LAC), que realiza diagnósticos em PCR e testes rápidos de Covid-19 para a região do Vale do Taquari.

No total, são 14 colaboradores da Univates identificados com a doença. Uma delas trabalha no LAC. A instituição presta acompanhamento aos funcionários. Um deles, inclusive, está em um hotel pago pela própria universidade, conta o reitor. “Desses 14, em torno de dois ou três têm sintomas de coronavírus. Os outros 11 ou 12 teriam passado pelo processo todo sem saberem provavelmente, porque não têm sintomas até o momento. Só ficaram sabendo, basicamente, porque testamos”, diz o Ney Lazzari.

O reitor destaca que os funcionários dos laboratórios trabalham o tempo todo parametrizados, com toda a indumentária e EPIs necessários. Porém, suspeita que o contágio pode ter ocorrido nos momentos de intervalo, entre turnos ou fora da Univates, nos contatos com outras pessoas da cidade.

Reitor destaca capacidade hospitalar de Lajeado

O reitor da Univates, Ney Lazzari, destacou os esforços da Prefeitura de Lajeado e do Hospital Bruno Born (HBB) para aumentar a capacidade de atendimento hospitalar aos casos de Covid-19. O gestor fez o comentário ao ressaltar que, provavelmente, não será preciso utilizar a estrutura que a universidade preparou para uma situação extrema de surto de coronavírus em Lajeado, com 40 leitos.

“Estamos andando bem. A cidade tem se comportado bem e a gente conseguiu distribuir ao longo do tempo os atendimentos no hospital. Isso tem dado um fôlego necessário para o sistema de saúde da cidade. O hospital foi muito ágil, do início ter 6 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para coronavírus e agora ter 18”, valoriza Lazzari.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

1 comentário

  1. Desculpa reitor mas parece que não esta acompanhando o noticiário, dizer que estamos andando bem, sendo que Lajeado está em terceiro lugar no ranking das cidades mais contaminações e vários surtos do corona vírus inclusive dentro da Univates, acho que estamos andando muito mal!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui