Suspeito de crime conhecia mãe de menina morta há apenas 3 meses

Polícia Civil pode investigar a mãe da criança pelo fato de entregar o vulnerável a pessoa inidônea


0
Foto: Bombeiros / Divulgação

O homem suspeito de violentar sexualmente uma menina de 5 anos e jogar nas águas do Rio Taquari, em Lajeado, era conhecido da mãe da criança há 3 meses, segundo informações confirmadas pelo delegado responsável, Humberto Messa Röehrig em entrevista ao programa Redação no Ar na tarde desta segunda-feira (6). Conforme apurado pelas investigações, eles eram amigos e o suspeito frequentava a residência da família com frequência.

O delegado adjunto da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Lajeado, revelou que existe a possibilidade da Polícia Civil investigar a mãe da criança pelo fato de entregar o vulnerável a pessoa inidônea. “Sabemos que a mãe teve uma perda catastrófica e deve estar sofrendo, mas ela é a responsável pela criança”, diz.

A criança foi vista com o homem, de 35 anos, próximo às margens do rio, na Rua Francisco Oscar Karnal. Segundo a investigação, o homem havia levado a menina para ir com ele até um mercado nas proximidades da residência. Ela foi encontrada sem roupas na água e levada ao Hospital Bruno Born (HBB), onde faleceu.

Saiba mais

– Menina de 5 anos morre após ser encontrada inconsciente às margens do Rio Taquari, em Lajeado

– “Um dos crimes mais bárbaros que se viu em Lajeado nos últimos tempos”

“Fiquei em choque. A gente não está preparado para receber uma notícia assim”, diz avô de criança morta em Lajeado

“Ele vai ter que pagar pelo o que fez”, diz familiar de homem que matou menina de 5 anos

Humberto revela que a investigação segue na busca por localizar imagens do circuito de monitoramento particulares e municipais que demonstram a condução do autor com a vítima ao local e segue buscando identificar outras testemunhas para corroborar com os elementos de convicção que já foram produzidos até então.

A investigação segue aguardando também o resultado do Departamento Médico Legal (DML), que, conforme o delegado, é “a prova técnica de maior importância dentro do inquérito”. Segundo ele, através desse laudo, poderá ser detectado se o corpo da vítima estava com vida quando foi jogado nas águas do Rio Taquari, em Lajeado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui