Terça-feira histórica: vacina contra a Covid-19 chega ao Vale do Taquari

4.240 doses da CoronaVac já estão na 16ª CRS. Distribuição para os municípios começa nesta tarde.


0
Por volta das 12h15, chegou a primeira remessa de vacinas contra a Covid-19 (Foto: Luís Fernando Wagner)

A terça-feira, dia 19 de janeiro de 2021 vai ficar marcada na história do Vale do Taquari. Nesta data, por volta das 12h15, chegou a primeira remessa de vacinas contra a Covid-19, destinadas para a região. O medicamento veio da Central de Distribuição de Medicamentos do Estado, em Porto Alegre, em uma caminhonete S-10 da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS). A vacina recebida é a CoronaVac, que surgiu da parceria entre o Instituto Butantan de São Paulo, e a indústria chinesa Sinovac.

As duas caixas de isopor com os imunizantes foram trazidas para a 16ª CRS, com sede no Centro de Lajeado, onde ficarão armazenadas em geladeiras especiais, até a conferência e separação do número de doses proporcional para cada município, na área de abrangência da coordenadoria. “É um novo capítulo que iniciamos. Foram 11 meses de intenso trabalho, em várias frentes. Tomara que esta etapa seja proveitosa”, comentou o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, que junto com a vice, Gláucia Schumacher, recepcionaram as 4.240 doses reservadas ao Vale.

Glaucia Schumacher e Marcelo Caumo (Foto: Luís Fernando Wagner)
Glaucia Schumacher e Marcelo Caumo (Foto: Luís Fernando Wagner)

O município programa para esta terça-feira, um ato solene para marcar o início do processo de vacinação em Lajeado. Local e horário ainda não estão definidos. “O ato depende do horário que as vacinas serão liberadas para nós”, esclarece Caumo.

Conforme o coordenador-adjunto da 16ª CRS, Ederson da Rocha, a triagem das doses deve durar a tarde toda, e a logística de imunização fica sob responsabilidade de cada município. “Vamos fazer a conferência das vacinas de acordo com as notas e posteriormente, liberar as vacinas para retirada pelos município. Lembrando que os primeiros a serem imunizados são os trabalhadores da saúde, mas somente aqueles que lidam diretamente com casos de Covid-19, ou seja, 34% dos profissionais que atuam na área na região. Também terão prioridade os idosos com mais de 60 anos e que vivem em instituições de acolhimento e população das três tribos indígenas que temos na região” explicou.

Equipe da 16ª CRS (Foto: Luís Fernando Wagner)
Equipe da 16ª CRS (Foto: Luís Fernando Wagner)

Informações sobre a vacinação em Lajeado

A vacina não é obrigatória. Será disponibilizada gratuitamente na rede pública para quem desejar e estiver na ordem prioritária, de acordo com a disponibilidade das doses.

– A vacina é feita em duas doses, com intervalo que varia de 14 a 28 dias entre a primeira e a segunda. Quem for vacinado com a primeira dose, terá a segunda dose assegurada para o momento posterior.

– Cada frasco tem capacidade para 10 doses de vacina. Uma vez aberto o frasco, ele deve ser usado imediatamente para não perder validade. Por isso, as pessoas serão sempre vacinadas de 10 em 10 para não desperdiçar o insumo.

– Pessoas que já tiveram Covid não estão excluídas da vacinação, desde que se enquadrem nos critérios de prioridade.

– Em Lajeado, a ordem de prioridade deverá ser a seguinte, com a possibilidade de ajustes ao longo do processo:

1) Profissionais da saúde diretamente relacionados com a pandemia e que estejam no atendimento da linha de frente de pacientes suspeitos e doentes que atuam nos setores do Hospital Bruno Born, do Posto de Saúde do Centro e da UPA, que são os três pontos de atendimento de casos de Covid no município, e também indígenas moradores de aldeias
2) Idosos com mais de 75 anos (em qualquer tipo de residência, sejam ou não de instituições de longa permanência)
3) Pessoas com mais de 18 anos residentes em instituições de longa permanência
4) Idosos (acima de 60 anos), começando pelos mais velhos e baixando a idade. Este detalhamento será feito na medida em que mais doses forem sendo disponibilizadas.
5) Pacientes de qualquer idade com comorbidades para as quais a Covid seja um risco extra de agravamento

– Não estão aconselhados, neste momento, a vacinação de gestantes e de pessoas com outras doenças, como transplantados ou com doença autoimune, por falta de dados de pesquisa na fase de testes. Estes casos deverão requerer atestado médico permitindo a vacinação.

– Os postos do Centro e do Montanha serão as referências para a vacinação neste primeiro momento. No caso da primeira etapa, os vacinadores se deslocarão para os pontos de vacinação, uma vez que são locais concentrados (posto de saúde, HBB e UPA). Nas próximas etapas, dependendo da disponibilidade da vacina, mais postos serão habilitados a fazerem a imunização.

– Para fazer a vacina, será preciso fazer um cadastro individualizado, informando número de CPF ou do cartão do SUS. Por isso, não será possível um sistema rápido tipo “drive thru” nestas primeiras etapas.

Estas orientações poderão ser alteradas na medida em que novas informações sobre o processo de vacinação, os grupos prioritários e a disponibilidade de vacinas forem sendo alteradas. Por isso, fique atento às orientações da Secretaria de Saúde do seu município./AI

Luís Fernando Wagner
noticias@independente.com.br.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui