Enquanto as comédias conseguiram ocupar um espaço de destaque no mercado cinematográfico brasileiro, outros gêneros não obtiveram a mesma sorte, principalmente quando estamos falando de bilheterias. Um deles é o terror.

Agora, o gênero tenta nova sorte no circuito com O Rastro, uma produção de qualidade técnica e excelente elenco. Para Lucas Salgado, do site Adoro Cinema, esta produção faria muito bem ao cinema brasileiro se o filme fosse bom. E aí reside o problema. Ele não é.


Ouça o quadro


Na trama, após se formar em medicina e fazer residência em um hospital público, João (Rafael Cardoso) acaba seguindo uma carreira mais burocrática, atuando na área da saúde pública. Na secretaria de saúde do Rio de Janeiro, ele recebe a missão de coordenar o fechamento justamente do hospital em que se formou, o que o coloca em conflito com o mentor e amigo Heitor (Jonas Bloch). Além de ter que lidar com as dificuldades do processo, ele está perto de ter seu primeiro filho ao lado da esposa Leila (Leandra Leal).

De forma interessante, O Rastro investe num horror em que o principal vilão é o sistema. O cenário das cenas assustadoras é um hospital sucateado e saqueado pelo poder público. Os momentos de maior tensão envolvem a falta de material para o trabalho, a corrupção e a estrutura precária para o tratamento dos pacientes. Neste sentido, é uma experiência curiosa fazer o espectador adentrar um cenário que é fictício, mas ao mesmo tempo muito real, e que pode ser visto nos noticiários por todos os cantos do Brasil.

Foto: Divulgação / O Rastro

No entanto, O Rastro representa mais uma oportunidade perdida de se fazer terror no Brasil. Vale pela tentativa, pelo exercício, e por tocar em temas importantes. Mas falha naquilo que tinha obrigação de fazer: assustar.

O Rastro tem sessões em Lajeado às 14h, 17h40, 19h30 e 21h20. Nesta segunda e terça não há a sessão das 14h.

No cinema de Lajeado, seguem ainda em cartaz os filmes: Rei Arthur – A Lenda da Espada, Alien: Covenant, Guardiões da Galáxia Vol. 2, Velozes e Furiosos 8 e A Cabana. RG / Adoro Cinema

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui