“Time Out” escolhe os bairros “mais legais do mundo” em 2021

Locais nos Estados Unidos, Europa, Coreia do Sul e Austrália estão na lista. Infelizmente o Brasil está de fora; confira


0
Parque BaNanna, antigo e tóxico terreno baldio transformado em um atraente refúgio urbano em Nørrebro, em Copenhague, na Dinamarca Astrid Maria Rasmussen (Foto: Astrid Maria Rasmussen)

Um centro gastronômico na capital dinamarquesa com novos negócios que prosperaram mesmo no auge da pandemia foi considerado o bairro mais legal do mundo pela revista “Time Out”.

Nørrebro, em Copenhague, liderou a lista de 2021 da publicação global. A seleção foi compilada usando uma pesquisa com cerca de 27 mil pessoas que vivem em cidades em todo o mundo, analisada pela equipe global de editores da “Time Out”.

Para a publicação, o espírito comunitário desempenhou um papel importante na seleção dos melhores distritos na esteira da Covid-19.

“A pandemia foi bastante devastadora para as cidades e para as empresas de cultura e hospitalidade”, opinou Caroline McGinn, editora-chefe global da “Time Out”, ao CNN Travel. “Mas cada um desses lugares tem sua própria história para contar sobre como as pessoas se uniram para apoiar umas às outras – e como inventaram uma nova cultura ao longo dessa trajetória”.

Andersonville, em Chicago, conhecido por sua cena LGBTQIA+ próspera e pelos espaços verdes, ficou em segundo lugar na lista. Já o histórico bairro de Jongno 3-ga, em Seul, na Coreia do Sul, ficou em terceiro lugar.

O quarto lugar ficou com o bairro de Leith, em Edimburgo, uma antiga área industrial da cidade que tem uma cena criativa emergente e uma lista crescente de restaurantes bem cotados. Completando os cinco primeiros está o artístico Station District de Vilnius, na Lituânia, elogiado pela “Time Out” por sua street art e a cena de bares.

Clima de vizinhança

O bairro número um, Nørrebro, foi recomendado pela “Time Out” não apenas por causa de seu comércio movimentado, com endereços antigos e novos, mas por suas recentes iniciativas comunitárias, incluindo o programa de domingo sem carros e uma exposição de arte interativa chamada Usynglige Stier (“Caminhos invisíveis”).

Copenhague também foi recentemente reconhecida como a cidade “mais segura” do mundo pelo Índice de Cidades Seguras (SCI, na sigla em inglês) da Economist Intelligence Unit. Nesta semana, o restaurante Noma, um marco contemporâneo de Copenhague, também foi eleito o melhor do mundo.

“As classificações da pesquisa não são o único ponto que importa, também pensamos na ‘vibe’, na atmosfera do bairro”, disse McGinn, explicando que os editores aprimoraram a lista aplicando uma perspectiva localizada.

“Os bairros das grandes cidades são dinâmicos, mudam rapidamente. E isso traz uma coisa muito boa: olhar para algumas das ideias interessantes que viraram realidade de forma muito veloz durante a Covid-19”.

A “Time Out” também diz que a sustentabilidade está na vanguarda de decisão: o segundo bairro mais legal, Andersonville, Chicago, foi celebrado por seu programa de compostagem ecologicamente correto, chamado Clark Free Composts, enquanto Sai Kung, em Hong Kong, nono na lista, foi elogiado por suas lojas com zero resíduos e o grupo ambientalista Friends of Sai Kung.

McGinn disse que a pesquisa destacou como as cidades foram afetadas pela pandemia de forma diferente, mas um fator unificador foi “uma grande mudança em direção ao localismo e hiperlocalismo, que veio para ficar”.

“As pessoas frequentavam seus bairros, dependiam deles para seu sustento, para a vida da comunidade e social e, em muitos casos, se apaixonavam por eles”, disse a editora-chefe.

A publicação também destacou empresas e pontos de referência obrigatórios para cada bairro – entre eles locais de música ao vivo como o Corner Hotel em Richmond, Melbourne (número 10) e a cafeteria Graine D’Or em Ngor, Dakar (número oito).

Para a editora-chefe, os pontos de referência são a “alma de nossas cidades”.

“Quando a ‘Time Out’ faz a curadoria do melhor das cidades, nossos editores buscam surpresas alegres: os novos pontos fora do radar que não têm um departamento de marketing habilidoso, mas são maravilhosos. Procuramos todas as coisas óbvias – sabor, autenticidade, excelência – mas também o ingrediente secreto, locais onde a vibração e a experiência realmente mexem com o ambiente e parecem definitivas para este lugar e época”.

“Senso de comunidade”

Thomas Spelling, sócio da cafeteria e padaria Rondó, em Nørrebro, que foi destacada pela lista, disse que a área se beneficiou de um forte senso de comunidade.

“Acho que isso é parte do charme de Nørrebro”, disse ao CNN Travel. “É principalmente uma área residencial e muitas empresas têm fortes vínculos com o bairro”.

Seus comentários foram ecoados pela equipe do The Barking Dog, um bar de Nørrebro também indicado como um destaque local.

“A gente não podia estar mais orgulhoso de ver Nørrebro na lista. Não só o bar fica em Nørrebro, como alguns de nós do bar também moram aqui. E a gente tem dificuldade em encontrar um motivo para deixar o bairro toda vez que precisa”, declarou coletivamente o staff do bar.

“Nørrebro é repleta de diversidade, aventura e artes. Há um profundo senso de comunidade entre os moradores e negócios que demonstram a constante evolução do bairro como um todo”.

Os 10 melhores bairros da Time Out

1. Nørrebro, Copenhague, Dinamarca
2. Andersonville, Chicago, EUA
3. Jongno 3-ga, Seul, Coreia do Sul
4. Leith, Edimburgo, Escócia
5. Station District, Vilnius, Lituânia
6. Chelsea, Nova York, EUA
7. Distrito XI, Budapeste, Hungria
8. Ngor, Dakar, Senegal
9. Sai Kung, Hong Kong
10. Richmond, Melbourne, Austrália

Fonte: CNN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui