Três vereadores ainda estão indecisos sobre votação de projeto que prevê abertura do comércio aos domingos

Ana da Apama (MDB), Heitor Hoppe (PP) e suplente Rodrigo Conte (PSB) – que assumirá cadeira na próxima sessão – ainda não decidiram seu voto


0
Foto: Artur Dullius/arquivo

O projeto de lei do Executivo que permite os estabelecimentos comerciais de Lajeado terem horário de funcionamento livre de segunda-feira a domingo, inclusive nos feriados, foi considerado legal e constitucional pela Comissão de Justiça e Redação da Câmara, e segue agora para análise de todos os vereadores em plenário.

No entanto, a proposta divide opiniões, e mesmo com a maioria dos parlamentares sendo da base aliada do governo Marcelo Caumo (PP), existe a possibilidade de não ser aprovada ou ter que receber voto decisivo do presidente da casa Isidoro Fornari Neto (PP).

Consultados pela reportagem da Rádio Independente, Ana da Apama (MDB), Heitor Hoppe (PP) e o suplente Rodrigo Conte (PSB) – que assumirá a cadeira de Adriano Rosa – na próxima sessão, disseram que estão indecisos ou analisando ainda o projeto. Todos os demais já assumiram uma posição.

Nesta quarta-feira (01), cinco são favoráveis e seis contrários. Para a matéria ser aprovada, é necessário de oito votos favoráveis. Em caso de empate, quem decide é o presidente Isidoro Fornari Neto (PP).

Conforme apurado pela reportagem, com exceção de Ana, que ainda analisa o texto, toda a base do MDB deve ir contra a proposta. Carlos Eduardo Ranzi (MDB) justifica sua posição dizendo que hoje, em qualquer lugar da cidade, o comércio pode abrir, desde que não se chame os comerciários. “Lajeado é uma cidade pujante, têm crescido anualmente mais do que a média, e conserva o histórico de um dos melhores lugares para se viver. Talvez essa situação de não abrir nos feriados e domingos seja a justificativa para a qualidade de vida”, analisa.

Deolí Graff (PP) já adiantou seu voto, ele é a favor da abertura do comércio aos domingos e feriados. O parlamentar diz que é necessário dar condições para quem trabalha. “Penso que precisamos dar condições para quem produz, quem gera emprego, devemos dar oportunidade para quem está fora do mercado. Observo que Lajeado tem uma classe de comerciários muito competente e bem instruída, tem plenas condições de cada um negociar com a loja que trabalha”, declara. Com exceção de Hoppe que ainda analisa e de Lorival Silveira (PP) que votará contra, todos os demais da base progressista dirão sim à proposta.

Além disso, Paula Thomas (PSDB) e Márcio Dal Cin (PSDB) votarão a favor ao projeto. Sérgio Kniphoff (PT) irá contra. A matéria entrou na Câmara de Vereadores no dia 20 de agosto e ainda não tem uma data definida para ir a votação. A tendência é que ela seja apreciada na próxima sessão, que será excepcionalmente na quinta-feira (9), em virtude do feriado da Independência da República, celebrado na próxima terça-feira (7).

Se a votação fosse hoje:

A favor
Marcio Dal Cin (PSDB)
Paula Thomas (PSDB)
Alex Schmitt (PP)
Mozart Lopes (PP)
Deolí Graff (PP)

Contra
Carlos Eduardo Ranzi (MDB)
Jones Vavá (MDB)
Marquinhos Schefer (MDB)
Eder Spohr (MDB)
Lorival Silveira (PP)
Sérgio Kniphoff (PT)

Indeciso/em análise
Heitor Hoppe (PP)
Ana da Apama (MDB)
Rodrigo Conte (PSB)
Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui