Um ano após o início, obras de duplicação da BR-386 estão 50% concluídas

CCR ViaSul acredita que serviços não serão concluídos até fevereiro de 2023


0
Ao todo, 21 frentes de obras compostas por mais de 600 trabalhadores atuam na rodovia (Foto: Artur Dullius)

O dia 1º de julho de 2022 marca um ano do início das obras de duplicação da BR 386, entre Lajeado e Marques de Souza. As intervenções já alteram o cenário nos entornos da rodovia. Desde então, já foram concluídos 10 quilômetros da nova duplicação. O total corresponde a 50% de todo o trecho de 20,3 quilômetros nesta primeira etapa. Para os serviços serão investidos aproximadamente R$ 300 milhões pela CCR ViaSul, concessionária responsável pela ampliação.

Segundo Fábio Hirsch, coordenador de engenharia da CCR ViaSul, ao todo, 21 frentes de obras compostas por mais de 600 trabalhadores atuam na rodovia, empregando aproximadamente 110 tipos de máquinas. “Há um ano colocávamos o pé na pista e no barro pra iniciar esta tão esperada obra de duplicação. Passado esse período de um ano a concessionária já concluiu 10 quilômetros de duplicação. Temos a metade da obra concluída atualmente. Finalizamos dez quilômetros de pavimentação, sinalização defensas metálicas e estamos dando sequência com muito mais intensidade do trecho de Lajeado”, detalha.

As equipes da concessionária já ultrapassaram a marca de 100 detonações de rochas no trecho, que geraram mais de 400 mil toneladas, o equivalente a carga de cerca de 24 mil caminhões. Para isso, foram utilizados mais de 140 toneladas de explosivos. No entanto, conforme adianta o coordenador, as obras não devem ser finalizadas dentro do prazo inicial previsto, em fevereiro de 2023.

“O nosso cronograma atual está demonstrando que nós vamos passar de fevereiro. Nós não vamos conseguir atingir esta marca inicialmente prevista em função do atraso da licença. Mas, dia a dia a engenharia está reavaliando o que pode fazer de incremento de maquinário e logística para poder terminar o mais breve possível. A comunidade pode estar ciente que estamos fazendo todo o esforço para entregar a obra no prazo, mas devem sim passar um pouco o mês de fevereiro”, projeta.

Em alguns trechos da duplicação, como o que fica entre os km 325 e 332, já estão sendo utilizadas as pistas novas como forma de desvio para possibilitar o alargamento e recuperação estrutural das pontes antigas. “Todo o trecho a gente imagina liberar em um mesmo momento, avaliando isso mais para frente. Já temos seis pontes novas construídas, desde o Rio Forqueta até Marques de Souza, que foram concluídas em apenas sete meses. Agora estamos então trabalhando no processo de alargamento das pontes antigas, para implementar o acostamento dela. Estamos num processo de desvios e a tendência é avaliamos mais para frente a liberação destes trechos novos”, explica Hirsch.

Do início dos serviços até agora, os municípios de Marques de Souza, Lajeado e Forquetinha, impactados diretamente pelas obras de duplicação, receberam mais de R$ 4,7 milhões como reforço no caixa. Atualmente os trabalhos estão concentrados no trecho de Lajeado.

“Pra iniciar atrasamos cinco meses. Pra concluir estamos buscando aquele prazo de fevereiro, ou serão poucos dias depois, pois nós temos já o próximo trecho iniciando neste período. Então, em fevereiro de 2023 já tenho uma previsão de início para o trajeto de que vai de Fontoura Xavier até Soledade. Por isso estamos correndo muito arduamente para terminar esta primeira etapa e poder liberar nossas equipes”, conclui.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui