Um olhar psiquiátrico para o excesso de uso de redes sociais, internet e jogos por jovens na quarentena

Essa geração cresceu dividindo o tempo entre a vida real e a vida das relações virtuais, diz Rafael Moreno.


0
Médico psquiatra Rafael Moreno (Foto: Tiago Silva)

O médico psiquiatra Rafael Moreno falou sobre as alternativas para passar o tempo em casa em meio à quarentena e ao isolamento social em função do novo coronavírus.

Em participação no programa Dinâmica desta segunda-feira (4), o profissional falou sobre os jovens que passam mais tempo no mundo virtual do que no real. “É uma preocupação dos pais, mesmo antes da pandemia, a questão do uso excessivo da internet, jogos e participação em mídias sociais pelos jovens”, reconhece.


ouça a entrevista

 


 

“Digamos que os jovens estão com ‘carta verde’ ao longo do tempo de pandemia. Só que a grande preocupação é quando as coisas se normalizarem. Como vai ser esse período de transição?”, questiona Rafael Moreno.

“Essa geração que nasceu em tempos de Facebook e Instagram cresceu dividindo o tempo entre a vida real e a vida das relações virtuais”, reconhece o psiquiatra.

Porém, esse modo traz consigo reflexos negativos. Muitos jovens que já tinham problemas antes, como a timidez excessiva, sintomas de altismo ou depressão fazem uso excessivo das mídias digitais para compensar a falta de relações sociais.

O psiquiatra expõe seu temor quanto àqueles que estariam em processo de melhora, mas, com a pandemia, podem regredir.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui