Um Vale de Turismo mais bonito


0

A natureza foi bondosa com o Vale do Taquari na parte baixa com seus rios, várzeas e balneários. Na parte alta com o relevo e clima. A paisagem atrai os passantes e aos poucos vem sendo valorizadas e aproveitadas. Culturalmente veio com os colonizadores europeus o gosto destes “quadros bonitos” que a natureza nos deu.

Muitos municípios já estão avançando no aproveitamento do agro turismo, ecoturismo, caminhadas, balneários, esportes radicais, quedas das águas, rios e outros pontos. Nas cidades investindo em parques como Teutônia, Lajeado, Estrela, Roca Sales, Marques de Souza, Putinga, Taquari… As pesquisas mostram quem vive perto do “verde” tem mais qualidade de vida.

Se os entes públicos apoiados por pessoas aficionadas pela área e profissionais do turismo e ainda os ligados ao meio ambiente estão cuidando muito bem disto, os resultados sempre serão a longo prazo. Cabe aos usuários cumprir a sua parte. Cuidar, valorizar, investir e não depredar o bem público. Em fim são locais de todos construídos com recursos e esforço de muitos.

Como estamos na época de frio, explorado também no turismo, a nossa parte alta como Sério, Boqueirão do Leão, Progresso, região de Ilópolis e demais municípios com altitude semelhantes à de Gramado, Canela e Nova Petrópolis precisam olhar este lado. Frio semelhante e próximo ou abaixo de zero aqui também acontece. Devemos pensar investindo em pousadas ou “quartos” em casa para acomodar os visitantes e a longo prazo ter algo semelhante. A parte mais complicada a natureza já nos deu.

Foto: Divulgação

A participação popular dos moradores neste trabalho é fundamental, principalmente nas rotas turísticas. E podem ainda ganhar financeiramente com isto. E mais, quem não gosta de ser elogiado “ olha o capricho desta gente”, “ que bonito o jardim”, “olha a santinha”, isto sim que é comida dos nossos antepassados e tantas outros. Uma frente limpa, organizada, flores, belas árvores, boas entradas, o paisagismo rural atrai. O trabalho da extensão rural EMATER tem um projeto chamado de “limpeza dos arredores” que no fim era valorizar o trabalho e apresentação da propriedade. No fundo melhorar a autoestima da família. E num período como este de pandemia é muito melhor ainda.

Quem procura conhecer outros países como Itália, Alemanha, Áustria, Suíça e por aí vai, pode ver belos exemplos que foram construídos a longo prazo. A propriedade passa de um a outro membro da família e muitas delas colocam placas com as denominações “Lar dos, …”, Família…” Algumas delas tem pontos de venda de seus produtos, muito bem apresentados, frutas, hortigranjeiros, lenha, flores produtos da propriedade.

As agroindústrias familiares podem recorrer a estes pontos e ter mais uma oportunidade de venda. Ainda mais que as feiras mais expressivas estão momentaneamente suspensas.
Outros simplesmente colocam a disposição para os passantes algumas frutas para o pessoal levarem. Quantas fotos vão circular por aí valorizando o teu trabalho. Isto faz muito bem para todos. Fora a preservação da natureza flora e fauna.

Foto: Divulgação

Uma carroça, um carretão, um carro antigo “fubica”, uma casinha bem decorada já é um ponto de referência, criatividade e invenção e mãos a obras.

Coisas bonitas. Elogios e se sentir bem aumenta a imunidade.

Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui