União libera R$ 10 milhões ao Vale do Taquari para recuperação após cheia histórica

Quatro municípios já foram contemplados com recursos. A maior parte, de R$ 5 milhões, foi para Arroio do Meio. Depois está Lajeado, com R$ 4 milhões.


0
Cheia de julho foi a mais elevada dos últimos 64 anos (Foto: Matheus Hinterholz - M/R. Produções / Divulgação)

O Vale do Taquari recebeu, nesta semana, R$ 10 milhões em recursos do governo federal para recuperação após a cheia histórica do Rio Taquari, do começo de julho. Prefeitos e representantes dos municípios mais atingidos pela enchente foram a Brasília, dias depois da enchente, solicitar ajuda financeira da União.

A liberação foi confirmada em publicação no Diário Oficial da União, da terça-feira (2), com autorização do Ministério do Desenvolvimento Regional, por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Quatro municípios do Vale do Taquari, dos 13 relacionados com danos, já receberam recursos. São três áreas.

O município que garantiu a maior fatia de dinheiro até o momento é Arroio do Meio, com o total de R$ 5.407.434,30. Deste montante, são R$ 4.064.617,07 para reconstrução, R$ 1.004.909,23 restabelecimento e R$ 337.908,00 em ajuda humanitária. Foram transferidos R$ 337.908,00 em 30 de julho para assistência. Em 20 de agosto mais R$ 1.004.909,23 para ações de restabelecimento e em 31 de agosto receberam aprovação metas no valor de R$ 4.064.617,07 para ações de reconstrução.

Depois, em segundo lugar no recebimento de recursos, está Lajeado, que já teve R$ 4.207.722,49. Neste caso todo o montante é para restabelecimento. A edição desta quinta-feira (3) do Diário Oficial de Lajeado apresenta a publicação de uma concorrência para a contratação de empresa de engenharia para execução de serviços de restabelecimento e recuperação de margens degradadas pela cheia do Rio Taquari, incluindo material e mão de obra. A sessão pública ocorrerá no dia 8 de outubro.

Muçum é o terceiro habilitado, com R$ 248.059,70 para restabelecimento. Por fim, Estrela já garantiu R$ 59.355,00 com o objetivo de ser aplicado em ajuda humanitária, setor que permite a aplicação em roupas, medicamentos e alimentos, com vistas a atender as famílias atingidas. No caso do restabelecimento, o foco está em obras para repor a trafegabilidade e a circulação após um episódio climático, como a enchente. Já a reconstrução destina incentivos para obras não imediatas.

Texto: Natalia Ribeiro
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui