Univates espera que aulas presenciais sejam retomadas em até 20 dias, com pequenos grupos de estudantes por turma

Reitor descarta redução na mensalidade em meio à pandemia de coronavírus. Ao menos 220 alunos alegaram dificuldades financeiras em função da crise.


3

A Univates espera que em cerca de 15 ou 20 dias possa retomar as aulas presenciais com grupos de 5 a 10 alunos e, em um mês, com turmas de 15 a 20 alunos. A estimativa foi apresentada pelo reitor da universidade, Ney Lazzari, em entrevista no Rádio Repórter desta quarta-feira (6). “Todas essas projeções dependem do comportamento do estado e da cidade, dessas questões todas”, pondera.


ouça a entrevista

 


Conforme o gestor, a instituição conta com cerca de 10 mil alunos em todos os seus cursos, seja presenciais ou à distância. “De um dia para o outro, a gente teve que virar a chave e passar a ter aulas pelo computador: o professor na sua casa, o aluno na sua casa. No mesmo horário das aulas, os estudantes passaram a ser aulas a distância”, comenta.

Em função da pandemia de coronavírus, a Univates teve que adaptar a estrutura que já tinha, ampliando-a. As aulas práticas em laboratórios ou aulas de estágio foram suspensas e as aulas expositivas, virtualizadas em 16 de março pela instituição.

Dessa forma, explica Lazzari, a universidade teve que fazer investimentos na área da informática “para que a gente pudesse fazer frente a esse momento todo”.

Por esse e outros fatores, o reitor descarta atualmente o pedido de alunos para a redução da mensalidade. “Não há, neste momento, uma propensão da instituição a qualquer tipo de desconto”, afirma Lazzari. Ele lembra ainda que o maior custo de uma instituição de ensino vem de seu quadro de professores e funcionários. Na Univates eles seguem recebendo seus vencimentos normalmente, sem suspensão de contrato e redução de salários. “Nisso não se mexeu em absolutamente nada”, afirma.

Em contrapartida, sensível a problemas financeiros que os alunos possam enfrentar em meio à pandemia, a universidade montou uma comissão para analisar, caso a caso, pedidos de estudantes que eventualmente tenham perdido seus empregos, sofreram redução de salários ou suspensão de contrato com a crise do coronavírus. Até o momento, a universidade recebeu 220 pedidos desta natureza.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

3 Comentários

  1. Na verdade a Univates foi a ultima organização da região a tomar algum tipo de atitude, sendo que de forma muito mediocreira, sendo ate hipócrita, pois o que oferecem e parcelar a mensalidade cheia em 6x no cartão.
    Todos tem que pagar essa conta, e a univates esta jogando tudo para os alunos, se posicionando contra o aluno, sendo MERCENÁRIA, e isso e um consenso entre os alunos e ate mesmo funcionários.

    Vai continuar perdendo alunos.

  2. Por mais que os alunos criem baixos assinados e outras medidas para tentar viabilizar e entrar em um acordo, a UNIVERSIDADE insisti em deixar tudo para o aluno, descaso com os alunos, uma pena, pois os alunos não possuem voz, nenhum retorno plausível tivemos da instituição!

  3. Por mais que os alunos criem baixos assinados e outras medidas para tentar viabilizar e entrar em um acordo, a UNIVERSIDADE insisti em deixar tudo para o aluno, descaso com os alunos, uma pena, pois os alunos não possuem voz, nenhum retorno plausível tivemos da instituição!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui