Univates seleciona doutor para atuar com bolsa em pesquisa de desenvolvimento de bioprodutos

As inscrições ocorrem até 4 de julho


0
Foto: Nicole Morás / Divulgação

A Univates foi contemplada, no primeiro semestre de 2022, com R$ 1.787.471,75 para o desenvolvimento de três pesquisas por meio do Edital Sict 003/2021 – Techfuturo, da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict) do Rio Grande do Sul. Além desse valor, a Univates também fará aportes financeiros como contrapartida.

O valor é referente a um edital, aberto em 2021, destinado às universidades, Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs), empresas e startups gaúchas que têm como objetivo prospectar projetos de pesquisa que apresentem tecnologias que estarão presentes na produção de bens, produtos e serviços nos próximos 50 anos no Estado, com vistas ao diferencial competitivo de mercado para o RS.

Um dos projetos contemplados é “Desenvolvimento de bioprodutos a partir de resíduos agroindustriais para aplicação como suplementos na nutrição animal”, coordenado pela professora doutora Claucia Fernanda Volken de Souza, que atua no Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBiotec) da Univates. O projeto busca um doutor para atuar como bolsista de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (DTI). As inscrições acontecem até 4 de julho. A bolsa terá vigência até 2024. A carga horária semanal é de 40 horas e a remuneração mensal é de R$ 4.000,00. Para se candidatar, o interessado deve atender aos requisitos previstos no Regulamento de Bolsa de Desenvolvimento Tecnológico e Industrial ‒ DTI da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do RS – Fapergs.

Além disso, deve a) ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no Brasil; b) ser residente e domiciliado no Estado do Rio Grande do Sul durante a vigência da bolsa; c) ter o currículo atualizado na Plataforma Lattes/Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ‒ CNPq; d) não ser beneficiário de outra bolsa de qualquer natureza; e) não possuir vínculo empregatício de qualquer natureza; f) não ter vínculo de parentesco em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, com o coordenador do projeto; g) ter perfil adequado à atividade a ser desenvolvida e qualificação avaliada por meio das informações descritas no currículo Lattes/CNPq do candidato à bolsa; h) ter disponibilidade para cumprir a carga horária semanal de 40 (quarenta) horas; i) desejável ter experiência no cultivo de microrganismos em biorreator de bancada do tipo submerso e/ou no desenvolvimento de metodologias analíticas por métodos cromatográficos e espectrofotométricos.

O objetivo do projeto é desenvolver tecnologias para a produção de bioprodutos a partir de importantes resíduos gerados pela matriz produtiva gaúcha com vistas à aplicação como suplementos na alimentação de vacas leiteiras. O trabalho liderado por Claucia pretende atuar com três diferentes frentes: levedura residual cervejeira selenizada; levedura residual cervejeira ativa encapsulada; e parede celular de levedura residual cervejeira. As três utilizam bioprocessos e biotecnologia para produzir, a partir de levedura residual de cervejarias e soro de queijo de laticínios, insumos com valor agregado para a alimentação e nutrição animal, diminuindo os impactos ambientais, custo, desperdício e perda de valor agregado. O projeto tem parceria com a Launer Química.

Para a professora e pesquisadora, o Techfuturo oferece uma oportunidade para a Univates se tornar referência na geração de conhecimento técnico-científico, por meio do desenvolvimento de pesquisa aplicada e inovação, contribuindo para a formação e a qualificação de recursos humanos, além de aumentar a competitividade industrial e econômica do setor biotecnológico aplicado à produção de alimentos. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui