UPA 24h de Lajeado realiza 46,9 mil atendimentos entre janeiro e maio deste ano

Número é quase 40% superior à capacidade projetada pelo Ministério da Saúde


0
Foto: Lucas George Wendt

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h de Lajeado é uma referência para os cidadãos que buscam um serviço de saúde gratuito e de qualidade. Isso porque a UPA conta com uma equipe assistencial multiprofissional e capacitada para atender urgências e emergências, além de equipamentos que auxiliam no diagnóstico e na estabilização dos pacientes.

Toda a estrutura do local foi projetada pelo Ministério da Saúde para atender até 225 pacientes por dia e 6,75 mil por mês. No entanto, o número de acolhimentos e consultas médicas tem aumentado gradativamente: entre janeiro e maio deste ano, foram realizados 46.935 atendimentos a 27.241 pacientes, ou seja, quase um terço da população do município.

O maior volume de atendimentos foi registrado em abril, quando a mesma equipe de profissionais contratada para atender a capacidade máxima estabelecida prestou mais de 10,6 mil atendimentos. Segundo a coordenação da Unidade, o aumento expressivo está relacionado à demanda reprimida em unidades de baixa complexidade em razão da pandemia de covid-19, às doenças sazonais e a surtos e doenças como a dengue.

O coordenador administrativo da UPA, Alex Vaz Borba, ressalta que, com o crescimento da procura e a preocupação em prestar um serviço de qualidade para todos, o tempo de espera de cada paciente também aumenta, mas em geral ainda fica abaixo do máximo definido pelo Ministério da Saúde.

De acordo com o levantamento realizado na UPA, os pacientes classificados como casos não urgentes (cor azul) aguardam, em média, 1 hora e 28 minutos para serem atendidos. Já aqueles classificados como urgência (cor amarela), como quadros de hipertensão, vômitos intensos ou crises de pânico, precisam aguardar, em média, 25 minutos. Nesses casos, o Protocolo Internacional de Manchester, escala na qual o Ministério da Saúde se baseia, prevê um tempo máximo de espera de até 60 minutos.

Borba lembra que pacientes com classificação azul representam mais de 40% dos atendimentos realizados na UPA de Lajeado e são aqueles casos considerados mais simples, que não necessitam de intervenção imediata e que deveriam ser atendidos em unidades de saúde de baixa complexidade, como os postos de saúde.

Medidas para controlar o número de atendimentos

Objetivando reduzir o número de atendimentos de pacientes classificados como de menor gravidade na UPA, a Secretaria da Saúde de Lajeado já trabalha na contratação de mais profissionais para atuação nos postos de saúde. A pasta ampliou por 60 dias o trabalho de quatro médicos de suporte com carga de 40 horas para realização de consultas nas unidades básicas dos bairros Olarias, Conventos, Jardim do Cedro e Montanha.

Outra medida proposta é a realização de acolhimento e classificação de risco comum para toda a rede de atendimento, para que os pacientes sejam encaminhados para os serviços adequados conforme a classificação de risco do caso. Com isso, espera-se uma integração entre os processos de atendimento de toda a rede de saúde do município, pública e privada. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui