UPA de Lajeado registra aumento de 56% nos atendimentos diários

Conforme a coordenação da unidade, em meses anteriores eram registrados de 200 a 250 consultas; agora número já chegou a 390 em um único dia


0
Em meses anteriores eram registrados de 200 a 250 consultas; agora número já chegou a 390 em um único dia (Foto: Caroline Silva)

A alta procura pelos atendimentos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Lajeado nos últimos meses tem chamado atenção, e inclusive debatida por alguns vereadores do município.

E os números confirmam esse aumento. Conforme a coordenadora administrativa da UPA, Úrsula Jacobs, em meses anteriores a média normal era de 200 a 250 pessoas atendidas por dia, sendo que atualmente os atendimentos chegaram até 390 em um único dia. No entanto, ela diz que esse crescimento pode estar relacionado a diversas causas. “A gente entende que a condição de crescimento dos atendimentos na UPA acontece devido vários fatores, dentre eles a demanda reprimida que estava pela pandemia. Hoje a gente atende números que atendiam antes da pandemia, então atribuímos essas condições ao retorno de uma certa normalidade”, ressalta.

O também coordenador da unidade, Alex Borba, fala que não há como afirmar que a alta na demanda esteja relacionada com a falta de médicos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). “Estatisticamente não conseguimos afirmar que a alta na demanda tenha relação com a falta de médicos nos postos. O que conseguimos mensurar é que se trabalhava com um número muito próximo ao de hoje antes da pandemia e agora com as pessoas já vacinadas e encorajadas, elas estão buscando por mais tratamento, já que muitas antes não buscavam por medo de se contaminar”, analisa.

Falta de médicos nos postos

Embora os coordenadores da UPA apostem no retorno da normalidade para o aumento da procura, para o vereador Jones Vavá (MDB) a alta demanda está relacionada com a falta de profissionais nas UBS.

O parlamentar realizou um levantamento nos 14 postos do município. “A gente se propôs a fazer esse acompanhamento mais de perto porque acreditamos que essa sobrecarga teria que ter uma explicação, e visitamos os 14 postos de saúde e realmente os números se tornam preocupantes neste momento. Destas 14 UBS, sete não contam com atendimento de pediatra, e as demais possuem atendimentos desses profissionais de forma alternada, e outras com médicos de férias”, explana.

Questionado, o secretário municipal de Saúde de Lajeado, Cláudio Klein, diz que estão avaliando a situação, mas que a falta de médicos não está atrelada com a demanda observada na UPA. “Uma situação não deve ter haver com a outra. Seriam demandas diferentes. Estamos avaliando ainda porque essa demanda é a meta da UPA, então não está havendo excesso neste momento, pois é o que ela já atendeu antes da pandemia”, afirma.

Números

Conforme dados fornecidos pela coordenação da UPA de Lajeado, no mês de setembro foram registrados 7.442 atendimentos, enquanto em meses anteriores o número mensal já chegou a 6.275. O Ministério da Saúde estabelece para as unidades da UPA a capacidade de 6.750 atendimentos mensais.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui