Vacinas e os animais

O uso de animais para proteger a saúde humana, dentro de normas éticas, precisa ser tolerado. Quantas vidas humanas foram salvas com isto?


0

Uma das maiores descobertas de tecnologia foi a vacina. Não se imagina o número de pessoas e animais que esta descoberta já salvou. Não vejo o mundo hoje sem a vacinação. Prova isso a pandemia que estamos passando. Mudou o comportamento da humanidade.

Tudo começou lá no século XVII por Edward Jenner, médico inglês que estudava varíola. Notou que um grupo de pessoas era imune (não pegava) a doença. E todas eram ordenhadoras de vacas e todas se tinham contaminado com uma doença do gado (cowpox) semelhante à varíola. Retirou secreções destas pessoas e injetou nas pessoas saudáveis, que desenvolveram a doença, mas de forma branda (fraca). Tempos depois, ao fazer testes de varíola nestas pessoas, notou que também estavam imunes. Nasceu aí a vacina, que, em latim, quer dizer “vaca”. Hoje ter domínio das vacinas também é uma arma de imposição de poder político e comercial.

Foto: Arquivo

No início, o uso encontrou resistência entre médicos e alguns grupos religiosos. E, por incrível que pareça, passados mais de 300 anos, ainda tem gente que não acredita em vacinas. Hoje, a tecnologia utilizada para a fabricação e aplicação é uma das mais desenvolvidas e vem ajudando controlar muitas doenças, e ainda introduzir novas tecnologias de tratamentos. Vírus e bactérias atenuadas e até mortas são utilizadas nas aplicações que resultam na fabricação de anticorpos pelo organismo. Para os animais são centenas disponíveis para aplicação. Cabe ao Médico Veterinário indicar o que deve ser feito e quando.

Os usos de animais por amostragem sempre foram envolvidos na fabricação de vacinas e estudos de novos procedimentos e tecnologias a serem utilizadas no tratamento humano. Vale lembrar que são animais criados especialmente em condições para isto. Conhecidos como animais de laboratório. Muitas experiências científicas, medicamentos, cosméticos e outros nasceram destes trabalhos. No passado, o número de animais utilizados eram bem maiores do que hoje. A resistência de grupos defensores animais e novas normas de pesquisas vieram substituir aos poucos. Há entidades internacionais que controlam as pesquisas com uso de animais com leis de proteção específicas.

Foto: Ilustrativa

E as próximas vacinas se utilizaram cada vez menos animais nas experimentações. Os usos de moléculas sintéticas farão “vacinas sintéticas” cada vez mais rápidas para colocar em uso. E por que são usado animais escolhidos? Por alguns terem a patologia e fisiologia parecida com a nossa. Por exemplo: os ratos têm seu DNA 99% igual aos humanos e representam 95% da população pesquisada.

E aqui vai um alerta as vacinas de coronavírus para cães, gatos, aves e bovinos: são de uso exclusivo veterinário, são diferentes do vírus que afetam os humanos. Muitos medicamentos para animais são parecidos com os utilizados para os humanos. Mas as dosagens são diferentes e forma de utilização também.

Se utilizando da internet, informações de publicação da Fiocruz mostra alguns exemplos de uso de animais que foram utilizados na produção de vacinas, medicamentos, novas formas de tratamentos e tecnologias.

– Animais mais utilizados: camundongos, hamster, porquinho da índia, coelhos, aves, cachorros, gato, macacos, tatu, ovelha entre outros.

O que se conseguiu com ajuda deles: vacinas raiva, medicamentos deficiência Vitamina B, varíola, tuberculose, cateterismo cardíaco, insulina, diabetes, anticoagulantes, mecanismo eletrocardiógrafo, neurônios, artrite reumática, penicilina, infecções bacterianas, fator Rh do sangue, quimioterapia, tratamento de câncer, descoberta do DNA, drogas antidepressivas, lepra, tomografia computadorizada, anticorpos monoclonais, terapia genética, vacina poliomielite, e tantas outras.

O uso de animais para proteger a saúde humana, dentro de normas éticas, precisa ser tolerado. Quantas vidas humanas foram salvas com isto?


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui