Vale do Taquari melhora indicadores e volta para a bandeira laranja

Mudanças entram em vigor a partir da 0h deste sábado (8). No RS, apenas a Região de Lajeado apresentou melhoria de sua bandeira, passando de vermelha para laranja.


0
Foto: Governo do RS / Divulgação

Como era previsto pelo comitê que faz a contagem dos dados semanais da região diante da pandemia da Covid-19, o Vale do Taquari recebeu bandeira laranja no mapa preliminar do programa de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul. O grupo conta com integrantes do Hospital Bruno Born (HBB), de Lajeado, e da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat). São 11 indicadores. Alguns apresentaram melhora e fizeram com que a região deixasse a classificação vermelha. A média ponderada foi de 1,44. Para ingressar na vermelha a nota mínima é de 1,50.

A alteração na 14ª semana do programa entra em vigor a partir da 0h deste sábado (8). Com isso, restaurantes poderão abrir no sábado e no domingo (9), Dia dos Pais, o que antes não era permitido. Vale para os estabelecimentos que atendem à la carte, prato feito e buffet sem autosserviço. Restaurantes em shoppings também estão inclusos. A bandeira laranja pede limitação na ocupação de clientes e uso de máscara.

O comércio também tem flexibilizações. Antes, na vermelha, podia funcionar de quarta-feira a sábado, das 10h às 16h. Na laranja, a qual foi atribuída ao Vale do Taquari, não há tal limitação. Porém, regras devem ser seguidas. Entre elas diminuição no número de profissionais atuando e de clientes ao mesmo tempo no estabelecimento comercial. O uso de máscara e a higienização dos espaços é válida para todas as classificações possíveis no programa, seja bandeira amarela, laranja, vermelha ou preta.

A região de Lajeado, que contempla 37 municípios, teve, até o momento, duas semanas de bandeira vermelha: de 4 a 10 de maio, na primeira semana do programa do governo gaúcho, e de 4 a 7 de agosto. Foram 14 rodadas executadas, sendo que em 12 delas o Vale do Taquari vivenciou a bandeira laranja. Em um dos mapas preliminares, divulgado em 17 de julho, a região conseguiu reverter a vermelha.

Conforme divulgado pelo governo do Estado, na 14ª rodada do Modelo de Distanciamento Controlado apenas a Região de Lajeado apresentou melhoria de sua bandeira, passando de vermelha para laranja.

Dados da semana

No período de 31 de julho a 6 de agosto, utilizado para o atual mapa do programa de Distanciamento Controlado, o Vale do Taquari teve dez óbitos e 556 casos confirmados da doença. O aumento foi de 66,6% nas mortes e de 3,5% nas infecções, visto que na semana anterior, de 24 a 30 de julho, foram seis falecimentos e 537 novos pacientes anunciados pelo governo do RS. Contam para o levantamento das bandeiras os testes positivos via PCR. Os rápidos não são avaliados neste caso.

Diretor executivo do HBB, Cristiano Dickel auxilia os municípios da região no levantamento das informações. Ele apurou que a macrorregião tinha mais leitos de UTI disponíveis nesta semana, em comparação com a anterior. “Na semana passada fechamos a macrorregião com 57 leitos de UTI disponíveis e esta semana são 64”. A macrorregião envolve hospitais localizados nos municípios de Cachoeira do Sul, Estrela, Encantado, Lajeado, Santa Cruz do Sul, Taquari e Venâncio Aires.

Conforme Dickel, internações de UTI, tanto de confirmados quanto de suspeitos para a Covid-19, tiveram evolução de 34 para 38, também em indicadores macrorregionais. Pacientes clínicos, confirmados para a doença, em leitos de isolamento e enfermarias, passaram de 36 para 37. Já os de UTI Covid com confirmação aumentaram de 22 para 28. Neste caso, contudo, há nove pessoas de outras regiões, que não devem ter contado para os resultados do Vale do Taquari.

O diretor executivo do HBB observa “queda considerável de pacientes de fora da nossa macrorregião, não só na região de Lajeado, mas de Cachoeira e de Santa Cruz também, o que vinha representando em torno de 57% das ocupações das UTIs e nesta semana caiu para 30%, ou seja, tem nove pacientes internados nessas três regiões”.

O número de óbitos, dez, era uma preocupação, já que era o recorde da região em falecimentos para a doença desde o começo do Distanciamento Controlado. Outro critério que causava apreensão era o de hospitalizações. Ocorre que na semana passada 19 pessoas, internadas entre a primeira e a segunda quinzena de julho, acabaram contanto para os dados semanais, o que foi recebido com surpresa. Este indicador pode ter colocado os 37 municípios em bandeira vermelha.

O sistema chamado SIVEP-Gripe, no qual são colocados os dados dos pacientes, deve receber a data de encerramento do atendimento, o que cabe às secretarias municipais de saúde. Alguns não haviam sido feitos. “Como o Estado tem feito uma busca ativa para que sejam atualizadas as fichas, foi informada a data de encerramento e puxou tudo para a semana”. Das 42 hospitalizações contabilizadas, 19 eram de outros períodos, ou seja, 45,3% das que foram contadas pelo Estado.

Texto: Natalia Ribeiro
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui