Vale do Taquari recebe quarta classificação seguida de bandeira vermelha

Diferença em relação às últimas semanas é que a cogestão voltou a ser permitida e, com isso, algumas restrições podem ser compatíveis com bandeira laranja.


0

A região de Lajeado (formada pela maioria dos municípios do Vale do Taquari) foi classificada pela quarta semana seguida como bandeira vermelha no Modelo de Distanciamento Controlado do Governo do Rio Grande do Sul. A informação foi divulgada no fim da tarde desta sexta-feira (18), na 33ª rodagem das bandeiras.

A região de Lajeado teve a segunda evolução de nota seguida. Enquanto que no dia 04 de dezembro teve a pior nota do Estado (2,33), na última sexta (11) foi para 1,96 e agora está em 1,65, a 11ª melhor nota entre as 21 regiões. A Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat) analisará os indicadores para ver se encaminhará recurso para tentar mudar a cor da bandeira para o laranja, quando a nota precisaria estar em 1,49. A pior nota desta sexta-feira foi da região de Caxias, com 2,04. Para chegar a bandeira preta é necessário 2,50. Das 21 regiões Covid do RS, apenas Guaíba ficou em bandeira laranja e as demais na bandeira vermelha.

Segundo o Governo do Estado, dos seus quatro indicadores regionais, Lajeado alcançou classificação de risco máximo (bandeira preta) em um deles. É o caso do número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil habitantes. Os indicadores do número de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias, do estágio de evolução da doença e da projeção de óbitos obtiveram bandeira amarela, no primeiro, e vermelha para os dois últimos. Houve redução nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos 7 dias, que passaram de 38 para 37 registros nesta semana, queda de 3%.

Com o registro de sete óbitos nos últimos sete dias, houve crescimento de 40% em relação aos registrados na semana anterior (5 óbitos). No caso do indicador de ativos sobre recuperados, a região registrou 1.670 ativos e 2.321 recuperados. Destaca-se que a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é bastante elevada, refletindo na bandeira preta para o indicador de incidência na região.

Retorno da cogestão

Desde a última terça-feira (15), o governo do Estado retomou a cogestão regional, que havia sido suspensa por 14 dias para permitir a adoção de protocolos de prevenção comuns no Estado e reduzir a contaminação por coronavírus.

O Gabinete de Crise segue proibindo a permanência em locais públicos sem controle de acesso – praias e praças, por exemplo –, com a exceção para a prática de exercícios físicos, em regiões classificadas em bandeira vermelha. No entanto, o governo abriu possibilidade para que, por meio de decreto municipal, prefeituras autorizem a permanência nesses ambientes, desde que conte com mecanismos de fiscalização para coibir aglomerações.

Também seguem vedados eventos festivos públicos e privados de final de ano, como em empresas ou condomínios. Permanece a recomendação para que as celebrações sejam realizadas em pequenos grupos de até 10 pessoas (sem contar as crianças) de um mesmo grupo de convivência regular, seguindo os protocolos de distanciamento, uso correto de máscara, ventilação cruzada e higienização, entre outros.

Quadras esportivas e atividades em locais fechados, como cinemas e teatros, não estão liberadas em bandeira preta ou vermelha, apenas em bandeira laranja e amarela. Em atendimento a demandas do setor, há mudanças nos horários de funcionamento de estabelecimentos comerciais, restaurantes e bares, que passam a poder receber clientes até as 22h, encerrando as atividades até as 23h.

A seguir, veja o detalhamento das principais mudanças

Retorno da cogestão

Com o retorno da cogestão, as regiões podem adotar protocolos mais flexíveis, desde que não menos rígidos do que os da cor precedente. Regiões classificadas em bandeira preta podem adotar algumas regras até as de nível vermelha. O mesmo vale para as regiões em vermelho, que podem adotar algumas regras da bandeira laranja, e as classificadas em laranja, que podem adotar alguns protocolos de bandeira amarela.

Veja como ficam as regras para os seguintes setores na bandeira vermelha:

Comércio não essencial

Ampliação do horário de funcionamento, com ingresso até 22h e encerramento às 23h
Reforço nos protocolos obrigatórios:
Ventilação cruzada (janelas e portas abertas)
Uso obrigatório e correto de máscara, cobrindo boca e nariz
Respeito ao teto de ocupação e ao distanciamento interpessoal
Horário preferencial para grupo de risco

Restaurantes, lanchonetes e bares

Ampliação do horário de funcionamento, com ingresso até 22h e encerramento às 23h
Grupos de no máximo seis pessoas por mesa
Distanciamento de 2m entre mesas
Apenas clientes sentados em mesas, sem permanência em pé
Ventilação cruzada (janelas e portas abertas)

Comércio eletrônico, tele-entrega, drive-rhru, pegue e leve sem limite de horário

Vedado música ao vivo ou mecânica alta que prejudique a comunicação entre clientes
Missas e serviços religiosos
Máximo de 30 pessoas ou 20% público, conforme teto de ocupação
Locais públicos sem controle de acesso (praias, praças etc.)
Proibido permanência, permitido apenas circulação e realização de exercícios físicos, com distanciamento interpessoal mínimo de 1m e uso obrigatório de máscara (cobrindo boca e nariz)
Decreto municipal poderá autorizar permanência, desde que conte com mecanismos de fiscalização para coibir aglomeração
Comércio de combustíveis para veículos automotores (postos de gasolina)
Presencial restrito
Vedada aglomeração
Vedado consumo de alimentos e bebidas

Transporte rodoviário intermunicipal

Ampliação do teto de operação para 50% assentos (janela) mais 25% coabitantes (corredor)
Ventilação cruzada (janelas e/ou alçapão abertos) ou sistema de renovação de ar (NBR 15570)
Restrição adicional: Resolução Nº 5.917, de 24 de novembro de 2020, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT)

Competições esportivas

Permissão de realização exclusiva para campeonatos esportivos chancelados por ligas estaduais e nacionais, federações e confederações nacionais e internacionais reconhecidas pelo Sistema do Desporto Nacional (SDN)

Números da Covid-19 na semana no Vale do Taquari

Na semana de 11 a 17 de dezembro, utilizada na 33ª rodada do programa, a região de Lajeado teve 1.106 casos e oito mortes. No período anterior, de 4 a 10 dezembro, em que recebeu bandeira vermelha, foram 1.132 infectados e sete óbitos. Os números apontam uma queda de 2% nos casos e aumento de 14% nos óbitos.

Leitos de UTI

Dos 65 leitos de UTI disponíveis no Vale do Taquari, 51 estavam ocupados às 14h desta sexta-feira. Eram 21 pessoas em leitos de UTI geral (41,2%), sem ligação com a Covid-19, 22 com confirmação de coronavírus (43,1%) e oito com suspeita do vírus (15,7%). Na sexta-feira anterior eram 47 (72,3%), sendo 21 com confirmação de coronavírus (44,7%).

Texto: Ricardo Sander
ricardosander@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui