Vale do Taquari registra um óbito e 167 novos casos de Covid-19 nesta sexta-feira

A região já ultrapassa os nove mil vacinados contra a doença.


0
Foto: Reprodução / Shutterstock

A Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul informou um óbito e 143 novos casos de Covid-19 entre moradores de municípios do Vale do Taquari, nesta sexta-feira (12). A morte informada é de um homem, de 90 anos, de Santa Clara do Sul, que faleceu na última quarta-feira (10). Os 167 novos casos informados nesta sexta, para 18 municípios do Vale, representam 5% dos 3.301 casos do Estado.

Lajeado, com 57 casos, teve 34,1% das novas infecções na região. Depois aparecem Estrela, com 37; e Teutônia, com 27. Também tiveram novos casos Taquari (9), Cruzeiro do Sul (6), Encantado (5), Anta Gorda (4), Progresso (4), Putinga (3), Arroio do Meio (2), Bom Retiro do Sul (2), Tabaí (2), Capitão (2), Pouso Novo (2), Santa Clara do Sul (1), Sério (1) e Forquetinha (1).

Conforme a Secretaria Estadual da Saúde, a região chegou a um total de 22.269 casos registrados de coronavírus. Destes, 21.232 (95,3%) são considerados recuperados, além de 969 (4,3%) casos ativos. A taxa de letalidade é de 1,2%, com 271 óbitos, sendo todos confirmados pelo Estado.

Leitos de UTI no Vale

Dos 65 leitos de UTI disponíveis no Vale do Taquari, 47 (72,3% ) estavam ocupados às 18h desta sexta-feira (12). Eram 24 pessoas em leitos de UTI geral (51,1%), sem ligação com a Covid-19; 18 com confirmação de coronavírus (38,3%) e cinco com suspeita do vírus (10,6%).

O Hospital Bruno Born, de Lajeado, tem 30 leitos de UTI, sendo 23 ocupados (76,7%). São 17 pacientes na UTI Adulta não Covid (73,9 %); dois com suspeita (8,7%) e quatro confirmados (17,4%) na UTI Covid.

O Hospital Estrela, em Estrela, dispõe de 20 leitos de UTI, sendo que 14 estavam ocupados (70%). São seis com confirmação para a doença (42,9%); um com suspeita (7,1%), além de sete não Covid (50%).

O Hospital de Caridade São José, de Taquari, tem 10 leitos de UTI, sendo que cinco estavam ocupados (50%), sendo três com confirmação de coronavírus (60%), e dois com suspeita (40%).

Já o Hospital Beneficente Santa Terezinha, de Encantado, tem cinco leitos de UTI e os cinco estavam ocupados (100%), todos eles confirmados para a doença.

Vacinação

Às 17h desta sexta-feira (12), o Vale do Taquari tinha 9.479 pessoas vacinadas contra o coronavírus, segundo a Secretaria da Saúde do Estado Rio Grande do Sul. Como a população da região é de 366 mil habitantes, calcula-se que cerca de 2,6% dos moradores já recebeu ao menos uma dose do imunizante.

Estado

O Rio Grande do Sul registra nesta sexta-feira (12), 3.301 novos casos de Covid-19 e chega a um total de 580.518 confirmados. O número estimado de recuperados é de 554.489 (96% dos casos); em acompanhamento, 14.670 (3%); e 11.300 óbitos no total, sendo 56 deles divulgados nesta sexta pelo Estado. Dos 2.674 leitos de UTI disponíveis no Rio Grande do Sul, 2.010 (75,2%) estavam com pacientes internados às 17h desta quinta (11). Além disso, o Rio Grande do Sul já tem 288.194 pessoas vacinadas contra a doença.

Brasil

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 13h desta sexta-feira (12). Desde o último levantamento, às 20h de quinta-feira (11), cinco estados atualizaram seus dados: GO, MG, MS, PE e TO. Na quinta-feira, às 20h, o país registrou 1.452 mortes pela Covid-19 nas 24 horas anteriores, a maior marca desde 29 de julho, chegando ao total de 236.397 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.073 —a maior registrada desde o dia 26 de julho. Já são 22 dias com essa média acima da marca de 1 mil. A variação foi de +1% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de estabilidade nos óbitos pela doença. Esse é o terceiro maior registro de mortes em 24 horas desde o início da pandemia. Aparece atrás dos 1.470 óbitos registrados em 4 de junho, e das 1.554 mortes anotadas em 29 de julho — quando houve represamento de dados de SP devido à não divulgação do boletim estadual na véspera. Fonte: G1

Texto: Maria Eduarda Ferrari
producao@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui