Vale do Taquari tem 21 casos de covid-19 contabilizados pelo Estado neste domingo

Não houve registro de óbitos


0
Foto: Pexels / Ilustrativa

A Secretaria Estadual da Saúde contabilizou 21 novos casos de covid-19 para o Vale do Taquari neste domingo (17). Não houve registro de óbitos.

Tiveram novos casos os municípios de Lajeado (8), Taquari (6), Estrela (5) e Teutônia e Anta Gorda (1).

Conforme o Estado, a região chegou a um total de 48.667 casos registrados de coronavírus. Destes, 47.537 são considerados recuperados (97,7%), além de 262 (0,5%) casos ativos. A taxa de letalidade é de 1,8%, com 868 óbitos reconhecidos pelo Estado.

Leitos de UTI no Vale

O Vale do Taquari possui 65 leitos de UTI e 30 pacientes (46,1%) estavam internados às 16h deste sábado. Eram 19 pessoas em leitos de UTI geral (63,3%), sem ligação com a covid-19 e 11 com confirmação de coronavírus (36,7%).

O Hospital Bruno Born, de Lajeado, tem 30 leitos de UTI, sendo 16 ocupados (53,3%). São 13 pacientes na UTI Adulta não covid (81,2%) e três com a confirmação da doença (18,8%). 

O Hospital Estrela, em Estrela, dispõe de 20 leitos de UTI, sendo que havia seis pacientes internados (30%). Todos sem relação com a doença (100%).

O Hospital de Caridade São José, de Taquari, tem 10 leitos de UTI, sendo que cinco estavam ocupados (50%), todos com a confirmação da doença (100%). 

Já o Hospital Beneficente Santa Terezinha, de Encantado, tem cinco leitos de UTI e tinha três pacientes internados (40%), com a confirmação da doença (100%).

Vacinação

Conforme consta no “Vacinômetro”, ferramenta disponibilizada pela Secretaria da Saúde do Estado Rio Grande do Sul, o Vale do Taquari tinha 280.484 pessoas vacinadas contra o coronavírus às 13h deste domingo. Como a população da região é de 368.453 mil habitantes, calcula-se que cerca de 76,1% dos moradores já receberam ao menos uma dose do imunizante. Destes, 270.873 receberam a primeira dose (73,5%), 195.284 já tiveram a segunda dose aplicada, ou seja, 53% dos habitantes da região, 9.611 receberam uma dose única (2,6%), totalizando 204.895 pessoas com o ciclo vacinal completo (55,6%) e 8.428 doses de reforço (2,9%). Desde a última atualização, na última quinta-feira (14), a região vacinou 1.034 primeiras doses, 4.841 segundas doses e 1.717 doses de reforço.

Estado

O Rio Grande do Sul registra neste domingo (17), 7 óbitos e 657 novos casos de covid. Agora, o Estado chega a um total de 1.453.179 casos confirmados. Desses, 1.410.813  são considerados recuperados (96,9%); em acompanhamento, 7.087 casos ativos (0,5%); e 35.183 morreram em decorrência do coronavírus (2,3%).

Leitos

Às 13h deste domingo, 59,9% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados. Eram 1.979 pacientes para 3.301 leitos disponíveis.

Vacinação

Rio Grande do Sul já tem 8.451.001 de pessoas vacinadas com a primeira dose da vacina contra a covid, o que representa 73,7% dos 11.466.630 habitantes gaúchos. Desses, 6.054.381 já receberam a segunda dose (52,8%); e 301.654 receberam dose única (2,6%).

Brasil

Conforme o site G1, o Brasil registrou neste sábado (16) 472 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 603.199 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 331 – abaixo da marca de 400 pelo quinto dia seguido. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -34% e aponta queda pelo sétimo dia seguido.

Sob influência do feriado estendido de Nossa Senhora Aparecida, as médias móveis de mortes e casos caíram bastante na última semana. Devido às equipes reduzidas trabalhando nos municípios, os números de casos e mortes registrados no sistema nacional ficam abaixo do normal, como visto em feriados anteriores; como consequência, apontam uma queda maior que a esperada na média móvel (que leva em consideração os dados dos últimos 7 dias). Por isso, a queda deve ser avaliada com cautela. Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta sexta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Texto: Vinicius Mallmann
regional@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui