Veículos terceirizados contratados pela Prefeitura de Lajeado serão rastreados

Vereadores criticam falta de licitação na contratação de arquiteto responsável pela elaboração do Plano Diretor.

0
Foto: Ricardo Sander

A partir de agora os veículos de empresas contratadas pela Prefeitura de Lajeado deverão, obrigatoriamente, ter dispositivo de rastreamento e monitoramento via satélite para que sejam remunerados por quilômetro rodado, por hora trabalhada ou por roteiro pré-determinado ou estimado. O projeto de autoria de Mariela Portz (PSDB), Waldir Gisch, Mozart Lopes e Fabiano Bergmann, do PP foi aprovado na sessão da Câmara de Vereadores de Lajeado desta terça-feira (11).


OUÇA A REPORTAGEM

 


A matéria visa evitar gastos excessivos e gerar uma maior transparência, como explica Mozart Lopes. “Em nós tendo o GPS do terceirizado, e posteriormente o nosso, nós poderemos fiscalizar a real hora”, cita. O projeto teve votos contrários de Marcos Scheffer (PMDB) e Paulo Tori (PPL), que cobrou que também seja instalado GPS na frota do município.

A outra matéria aprovada entrou na pauta em regime de urgência e destina R$ 30 mil reais para o pagamento de 40 meses de locação de dois pavilhões da Mitra Diocesana de Santa Cruz, no bairro Conservas. Os espaços servirão para a realização de atividades da Escola Municipal de Educação Infantil Criança Esperança e para a Escola Estadual de Ensino Fundamental São João Bosco, além da própria comunidade do bairro Conservas e do Grupo da Terceira Idade “Sempre Felizes”.

O projeto que institui o Programa de Renegociação da Dívida Ativa Municipal – Dívida Zero, que tem a finalidade de propiciar ao contribuinte, o pagamento de débitos inscritos em Dívida Ativa até 31 de março de 2017, recebeu pedido de vistas de Carlos Ranzi (PMDB).

A matéria que muda o valor mínimo de renda mensal per capita familiar de até meio salário mínimo para um quarto do salário mínimo para acesso aos benefícios de assistência social foi retirada pelo líder de governo, Mozart Lopes. A mensagem justificativa do projeto destacava que seria dado um benefício para um número maior de famílias, o que foi contestado por vários parlamentares, mas primeiramente por Ranzi. “É um retrocesso. Na verdade ele não aumenta a participação das famílias, ele diminui. Nós temos que ter muito cuidado com mensagens justificativas, devemos nos ater muito ao que o projeto realmente diz”, frisa.

Contratação de arquiteto sem licitação é questionada

No uso da tribuna, dois vereadores do PT, questionaram o fato de a administração municipal contratar arquiteto responsável pela elaboração do Plano Diretor de Lajeado sem licitação. Sérgio Kniphof citou que o questionamento foi feito na reunião do plano diretor por um morador do bairro Americano na última segunda-feira. Sério Rambo foi na mesma linha. “Se vê pessoas que vêm de fora, contratados sem licitação para elaborar o novo Plano Diretor do município de Lajeado por R$ 190 mil reais”, destaca.

Gão (PMDB) ocupará a cadeira de Eder Spohr por 15 dias.

O suplente de vereador Volnei Vasques da Cunha, o Gão (PMDB), assumiu a cadeira de Eder Spohr (PMDB), que tirou licença de 15 dias.

Presídio

O presidente da Câmara, Waldir Blau (PMDB), que chegou ao final da sessão, informou algumas das reivindicações feitas pela comitiva lajeadense que se reuniu com secretário estadual de Segurança, César Schirmer em Porto Alegre, na tarde desta terça-feira. Segundo ele, a situação do Presídio de Lajeado ficou bem encaminhada. “ O juiz (Luis Antônio Johnson) colocou ao secretário que se fosse deixado aqui em Lajeado apenas 250 apenados, hoje ainda temos 304, ele iria revogar a interdição”, diz. A vinda de detentos de fora da região, também é rejeitada. “Outro ponto é para que não se traga mais as facções ao Presídio de Venâncio Aires. Foi colocado que os vales do Taquari e Rio Pardo cuidariam dos seus presos”, comenta. RS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui