Vereadores de Lajeado criam Semana Municipal do Lixo Zero

Data será comemorada anualmente na última semana do mês de outubro; Projeto de Lei é de autoria de Ana da Apama (MDB), assinado pelos parlamentares Lorival Silveira (PP), Sérgio Kniphoff (PT), Paula Thomas (PSDB), Jones Vavá (MDB), Adriano Rosa (PSB), Deolí Gräff (PP) e Heitor Hoppe (PP)


0

A Câmara de Vereadores de Lajeado aprovou quatro Projetos de Lei (PL) na sessão virtual desta terça-feira (20). Um deles é o que cria a Semana Municipal do Lixo Zero, proposto pelos parlamentares Ana da Apama (MDB), Lorival Silveira (PP), Sérgio Kniphoff (PT), Paula Thomas (PSDB), Jones Vavá (MDB), Adriano Rosa (PSB), Deolí Gräff (PP) e Heitor Hoppe (PP).


OUÇA A REPORTAGEM


A data deve ser comemorada anualmente na última semana de outubro e tem por objetivo melhorar a destinação dos resíduos sólidos urbanos (RSU), além de realizar parcerias com instituições públicas e privadas locais. A vereadora Ana da Apama (MDB), criadora do PL, destacou que, embora a semana seja apenas em outubro, a ideia é realizar ações no decorrer do ano. “Não é somente uma data, mas que possamos iniciar desde já vários movimentos de conscientização e que possamos chegar em outubro e já ter construido algo a mais sobre o destino correto dos resíduos, isso diminuirá a presença de ratos e insetos”, comenta.

O texto foi aprovado por quase todos os vereadores, recebeu apenas um voto contrário, do vereador Alex Schmitt (PP). O parlamentar disse que entende que o PL deveria vir do Poder Executivo. “Não quer dizer que eu não reconheça a boa intenção do projeto, mas tenho um entendimento pessoal que esse tipo de lei seria melhor vir de uma indicação do executivo e por isso vou votar contra”, explica.

Outros assuntos

O vereador Jones Vavá apresentou um requerimento que solicita a Secretaria de Habitação e Assistência Social (Sthas) a relação de todos os Lajeadenses inscritos no Cadastro único do município, a fim de identificar os munícipes que recebem auxílios governamentais de forma indevida. O pedido foi aprovado, tendo recebido votos contrários de Alex Schmitt (PP), Paula Thomas(PSDB), Deolí Graff (PP) e Mozart Lopes (PP).

Paula justificou sua posição contrária dizendo que não seria dever da Sthas repassar essas informações. “O Cadastro Único é feito pela Caixa Econômica Federal então a Sthas não pode informar os nomes por um contrato de sigilo, o Cadastro Único é utilizado pela Sthas, mas é um sistema do Governo Federal”, ressalta.

Vavá (MDB) disse que não concorda com a vereadora Paula e falou que é dever do vereador ser um fiscalizador do dinheiro público. “São assuntos que chegam até nosso gabinete, de pessoas que seriam proprietárias de salões de beleza e outros empreendimentos no município e estão recebendo benefício do governo, vejo que nós temos que fazer essa fiscalização e ver como esses recursos estão sendo destinados”, defende.

O vereador Heitor Hoppe (PP) enviou uma solicitação ao município da realização de um estudo de projeto para a implantação de uma creche, no imóvel onde estava localizada a antiga Unidade Básica de Saúde, na Rua Manaus, no Bairro Universitário. Ele justificou seu pedido dizendo que o Bairro Universitário precisa de uma escola infantil, tendo em vista que muitas famílias precisam se deslocar para outros bairros. “Existem inúmeras demandas de creches naquele bairro e existe um imóvel totalmente desocupado, o município tem muitos imóveis em desusos, seria uma maneira de ocupar aquele prédio e ajudar quem precisa”, comenta.

Já Carlos Eduardo Ranzi (MDB) disse que a prefeitura deveria fazer um convênio com a Univates para utilizar algumas salas como escola infantil. “ A prefeitura poderia realizar um convênio com a Univates, que possui muitas salas vazias, acredito que a solução esta próxima, mas esta dentro da própria Univates, onde é um ambiente onde tem toda a estrutura adequada”, sugere.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui