Vereadores pedem à prefeitura planos de recuperação econômica para o comércio de Lajeado

Legislativo irá destinar R$ 100 mil para o executivo utilizar na compra de vacinas contra a Covid-19


1
Sessões seguem sendo on-line devido bandeira preta no Estado

A sessão ordinária virtual da Câmara de Lajeado desta terça-feira (09) teve como destaque entre os vereadores a situação dos comerciantes do município que estão de portas fechadas por determinação do Estado. Alguns deles demonstraram apoio aos empresários e encaminharam requerimentos ao governo municipal a fim de buscar soluções para o comércio não essencial.

Um deles foi enviado pela vereadora Ana Rita da Apama (MDB). Ela solicitou um plano de recuperação econômica e de emprego pós pandemia. “É claro que muitas pessoas já perderam o emprego e muitas ainda vão perder. Entendo que é necessário neste momento manter o comércio fechado, mas senti uma grande tristeza de ver os estabelecimentos fechados quando passei pelo Centro de Lajeado”, conta.

Já o vereador Eder Spohr (MDB) encaminhou um anteprojeto de lei ao executivo para isentar empresários de tributos municipais. “Encaminhei um anteprojeto de lei que peço a isenção de tributos e taxas municipais de pessoas jurídicas com funcionamento regular que estão impedidas de trabalhar na fase de bandeira preta. O governo do Estado deveria fazer isso. O governador está fechando as empresas. As pequenas empresas estavam começando a respirar, e agora o que vai acontecer com essa gente?”, questiona. O vereador Carlos Eduardo Ranzi (MDB) também enviou a prefeitura uma proposta de parcelamento ou um plano de pagamento diferenciado de impostos relativos ao período de bandeira preta.

Enquanto isso, a vereadora Paula Thomas (PSDB) observou que o anteprojeto do vereador Eder Spohr pode não favorecer quem já efetuou os pagamentos de IPTU e alvarás este ano. “Quando solicitamos a isenção de algumas taxas é importante a gente ter consciência que, temos aproximadamente, com o primeiro vencimento em fevereiro, 70% dos IPTU pagos e dos alvarás 60%. Se pedirmos isenção, vamos ter que pedir a devolução, e o executivo vem avaliando essa questão para não impactar quem já fez o pagamento”, comenta.

Lorival Silveira (PP) falou sobre a gravidade da pandemia, mas destacou que outras doenças também merecem atenção e cuidado. “A gente se sensibiliza bastante com as vidas perdidas por causa da Covid-19, mas temos outras doenças que atingem nossa população. As outras doenças não pararam e temos que dar atenção a elas também. Temos que respeitar a Covid-19, mas as outras doenças também matam”, ressalta.

PL e requerimentos em votação

Na pauta do dia havia um Projeto de Lei (PL) para ser votado pelos vereadores, que define o nome da nova escola municipal de educação infantil, do Bairro Santo Antônio como SER –Saber, Educar e Respeitar. O PL foi aprovado por todos os vereadores e recebeu elogios dos parlamentares pela escolha do nome da Emei. Heitor Hoppe (PP) destacou a atenção que o bairro vem recebendo nos últimos tempos. “É um PL simples, que todos vão votar a favor, mas me chamou atenção o bonito nome, isso mostra que o governo esta dando atenção ao Bairro Santo Antônio. Não da para negar que aquele bairro e redondezas teve muitas evoluções nos últimos anos, com habitação e agora com esta escola”, comenta.

Um requerimento dos vereadores do MDB, Carlos Eduardo Ranzi, Eder Spohr e Jones Vavá foi aprovado com oito votos favoráveis e cinco contrários. O documento convoca a presença do secretário municipal da Fazenda, Guilherme Cé, para explicar a aplicação dos R$ 12 milhões recebidos pelo município, oriundos do Governo Federal, para o combate à pandemia da Covid-19.

No entanto, o vereador Alex Schmitt (PP) pediu destaque ao requerimento e foi contrário. Ele justificou dizendo que não seria necessário uma convocação e sim um convite. “Esse requerimento já foi apresentado em 2020 e o secretário já se manifestou se colocando a disposição. Ele reiterou a disponibilidade novamente para fazer essa prestação de contas. Só acho importante a diferenciação entre o convite e a convocação e me incomoda a convocação porque ele sempre esteve disponível, por isso voto contra este requerimento de convocação”, explica.

Eder Spohr rebateu dizendo que não é uma dúvida dos parlamentares, mas sim da população. “Nós estamos abrindo uma possibilidade do secretário falar, isso não é uma dúvida nossa e sim das pessoas que nos procuram para saber. Ninguém está duvidando do trabalho dele”, esclarece.

Ao final da sessão, o presidente da casa, Isidoro Fornari Neto (PP) disse que o legislativo irá destinar R$ 100 mil para o executivo utilizar na compra de vacinas contra a Covid-19.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

1 comentário

  1. Resumindo … Lenga lenga com 100 mil para vacinas.. Olha acho absurdo o que acontece aqui nesta cidade pois a unica solucao para conter o virus nao e fechando micro e pequenas empresas que ja vem sofrendo com a crise desde inicio de 2020 a mais de ano .. E sim conseguirem vacinas .. O plano e conter a populacao em casa para que o hospital nao entre em colapso ate a chegada das vacinas .. So que nossos governantes se esquecem que para possuirmos a vacina e acabar de vez com isso .. Nao nos falta dinheiro no brasil ao contrario acredito que com o prejuizo q estao tomando muitos empreendedores ate forneceriam milhoes e bilhoes se fosse preciso.. O que nos falta e DIPLOMACIA do nosso vergonhoso representante PRESIDENTE ..para com os paises fornecedores das vacinas colocando assim o Brasil em ultimo plano de fornecimento.. Em contrapartida o nosso governador tambem nao tem essa diplomacia e nao as consegue .. Resumindo de um lado miseria e falencia e do outro doenca e morte .. Sera culpa do virus ou de nossos governantes ? ? Pois tiveram 1 ano para estabelecer contatos e nao o fizeram .. Com ressalva ao govrnador de sao paulo q ampliou sua visao e se deu conta q isso so termina com vacina em larga escala.. E ainda foi forcado a prejudicar seu estado pelo nosso e os outros governadores incompetentes .. Ressalvo q espero q possam comercializar a vacina no Brasil .. Caso contrario se dependermos somente da boa vontade e organizacao governamental vc ou eu poderemos ou estar mortos ou falidos em breve.. Essa e a verdade..

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui