Vereadores recusam reunião para debater gestão de resíduos em Lajeado

Pedido havia sido feito pela vereadora Ana da Apama (MDB).


0
Sessão desta terça foi virtual (Foto: Reprodução)

A sessão da Câmara de Vereadores de Lajeado desta terça-feira (23) foi virtual devido o agravamento da pandemia na região e as novas restrições. Nenhum Projeto de Lei (PL) estava em votação, somente um requerimento da vereadora Ana da Apama (MDB) que solicitava debater a gestão de resíduos no município com especialistas do meio ambiente na reunião das comissões. A solicitação foi recusada com 10 votos contrários dos parlamentares.


OUÇA A REPORTAGEM


O vereador Deolí Graff (PP) foi contra e disse que não é o momento ideal para trazer pessoas de fora para uma discussão. “Estamos em plena pandemia e creio que não seja oportuno no momento. Esse requerimento atende os interesses de uma vereadora e penso que deve atender a demanda de mais vereadores. Precisamos pensar em conjunto e unirmos forças”, sugere.

Eder Spohr (MDB) rebateu e disse que o vereador Deolí estava equivocado. “Acredito que o vereador Deolí se equivoca um pouco porque obviamente todos os vereadores vão participar. Não tem necessidade de retirar o requerimento”, ressalta.

Marquinhos Schefer (MDB) também votou contra o requerimento e justificou dizendo que existem assuntos mais importantes. “Nós temos que deixar isso para outro momento. Temos coisas mais relevantes para discutir”, observa.

Enquanto isso, Ana da Apama ressaltou que a reunião seria em outro momento. “Todas as solicitações dos vereadores contemplam esse requerimento, que foi enviado anterior a pandemia. É claro que não vamos chamar essas pessoas em bandeira preta”, explica.

Já Sérgio Kniphoff (PT) sugeriu solicitar uma audiência pública a respeito do tema. “Não tem ninguém aqui contrário ao requerimento em si. Eu acredito que este requerimento tem um erro. Isso é motivo de uma audiência pública e não de trazer todas essas pessoas com esse gabarito para uma discussão das comissões”, diz.

Outros temas

O agravamento da pandemia no Estado e na região foi destacado por quase todos os vereadores. Contudo, mesmo falando sobre o alto risco, Alex Schmitt (PP) frisou que as escolas não são o problema. “No meu entendimento as escolas são um dos ambientes mais seguros para estar. Temos os EPIs para evitar a contaminação e não se tem evidência alguma de contaminação envolvendo alunos. Eu digo que a educação deve ser prioridade e é sim um atividade essencial”, declara.

Contudo, Sérgio Kniphoff lembrou da morte da monitora da Emei Criança Feliz, em Lajeado, vitima de Covid-19, no último domingo (21). “Nós não podemos minimizar a questão da escola porque nós tivemos uma morte em uma escola e isso é muito grave. Teve um protocolo na semana passada que dizia que não era para informar as famílias a respeito da contaminação nas escolas que houvesse contágio do vírus. Nós entendemos que as pessoas não têm onde deixar seus filhos, mas se sabemos que é preciso ter escola para as crianças menores, precisamos ter um protocolo seguro”, ressalta.

Lorival Silveira (PP) trouxe outra demanda. O vereador enviou um requerimento ao prefeito Marcelo Caumo para que interceda junto a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) para a retirada de sinaleira em frente ao Posto do Arco, no Bairro Santo André. “Não podemos mais permitir que aquela sinaleira traga todo aquele transtorno. Quando chega o horário de pico é 3/4km de congestionamento prejudicando o trânsito”, conta.

Texto: Caroline Silva

jornaliso@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui