Você consegue ver com atenção as coisas que estão ao seu redor?

Confira a análise de Dirce Becker Delwing, jornalista, psicóloga e psicanalista clínica sobre o livro “Rico de verdade”, de Roberto Tranjan


0

“Rico de verdade”, de Roberto Tranjan é um livro que fala sobre ambições que existem por trás da riqueza. O autor é economista, escritor, palestrante e consultor. Entre os temas que aborda aparecem a desatenção, o excesso de controle e a ordem para produzir mais com menos. Na página 17, ele afirma que quem quer fazer tudo ao mesmo tempo, sem conseguir ter um olhar focado, pode sabotar a sua capacidade produtiva. “Quando fazemos muitas coisas ao mesmo tempo, não colocamos paixão em nenhuma delas”. Para provocar o leitor a pensar sobre a rotina que nem sempre contempla vida pessoal e carreira de forma sincronizada, questiona: Como é que anda seu lado pessoal? É repleto de atividades prazerosas, ou cada vez mais reduzido em perspectivas, de maneira a empobrecer também quem vive ao seu redor? Pelo que entendi, ele também deseja perguntar: O que você faz nos finais de semana? Quanto tempo dispensa para a família? Você cuida da sua saúde?

Outro tema que o autor aborda na obra refere-se ao antigo ditado popular de que “o olho do dono engorda o boi”. Segundo ele, muitas empresas não se desenvolvem porque seus donos não abrem mão do controle. E isso impede que os funcionários enxerguem soluções e participem do processo de trabalho com o potencial que, de fato, eles têm. Contudo, a obsessão pelo controle também acontece em empresas de grande porte. Por exemplo, quando uma mercadoria é devolvida, vários setores da empresa são envolvidos. A recepção aceita o produto e faz o encaminhamento para o depósito. Já a contabilidade ajeita a parte dos custos, o setor de vendas revê e ajusta as comissões dos vendedores, e, assim por diante. Mas, na maioria das vezes, não existe ninguém que conversa com o cliente para saber, com clareza, porque a compra foi frustrada. “Controles são necessários, mas não podem inibir a geração de riquezas causada pela criatividade humana”. (p.35)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui