Voluntários de pelo menos 15 cidades do RS produzem máscaras em prol de Lívia Teles

Conforme Anderson Teles, pai da menina, ainda não se sabe o valor que será arrecadado, mas irá contribuir com a Campanha “Todos pela Lívia.”


0
oice Gabriela Koelzer, Natural de Marques de Souza, reside atualmente em Novo Hamburgo e é uma das voluntárias da campanha (Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Mesmo com cancelamentos de muitos eventos devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, a Campanha “Todos pela Lívia” segue mobilizando voluntários em busca de ações. Até o momento, R$ 6,3 milhões já foram arrecadados. Com o uso obrigatório de máscaras, como forma de prevenção ao vírus, em diversas cidades do estado, e em pelo menos dez municípios no Vale do Taquari, houve aumento pela procura dos itens de proteção.

Com isso, as máscaras também passaram a fazer parte da campanha em prol da menina Lívia Teles, portadora de Atrofia Muscular Espinhal (AME). Conforme o pai da menina, Anderson Teles, voluntários espalhados em 15 municípios, entre eles Teutônia, Estrela, Taquari, Lajeado, Carlos Barbosa, Novo Hamburgo e Campo Bom, se uniram para confeccionar e vender máscaras como forma de contribuir com a campanha. Todo o valor arrecadado com as vendas será revertido para o tratamento de Lívia.

Segundo Anderson Teles, são muitos voluntários envolvidos, fica difícil saber quantas pessoas estão engajadas na ação. Da mesma forma, é difícil nesse momento dizer qual valor será arrecadado com as vendas das máscaras, porém, ele destaca que, toda a ajuda é bem-vinda nesse momento. “Vai ajudar muito na divulgação da causa e como ainda estão sendo vendidas, não temos previsão de quanto será arrecadado”, relata.

Especialistas recomendam o uso de máscaras como prevenção para contágio ao novo coronavírus. A preferência, é de que sejam itens de tecidos, produzidos de forma caseira, como estão sendo feitas as máscaras em prol da Lívia. Algumas possuem o nome da menina, variam entre estampas e cores. Também há opções para crianças, em tamanhos menores, e para adultos. Quem deseja adquirir uma máscara e ainda contribuir com a campanha, pode entrar em contato direto com um dos voluntários ou então através das redes sociais da menina. No Instagram através do perfil @liviatls e no Facebook na página “Todos pela Lívia”.

A campanha

Objetivo inicial da campanha era conquistar R$ 9 milhões. No entanto, com a alta do dólar, o valor para o remédio pode passar a custar R$ 11 milhões. Lívia foi diagnosticada aos quatro meses de vida com AME tipo 1.

A cura de sua doença depende do medicamento zolgensma, cuja aplicação é feita apenas nos EUA. Médicos recomendam que ela faça o tratamento antes dos 2 anos de idade, por tanto a campanha tem até outubro para atingir sua meta. Hoje Lívia tem 1 ano e seis meses.

Texto: Gabriela Hautrive
produção@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui