Wilson Witzel pede para se retirar, e sessão da CPI da Covid é encerrada

Ex-governador do Rio de Janeiro deu depoimento por mais de quatro horas, mas decidiu sair


0
Fachada do edifício sede do Supremo Tribunal Federal (Foto: Agência Brasil / Reprodução)

O ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel pediu para se retirar, e a sessão da CPI da Covid foi encerrada no início da tarde desta sexta-feira (16). Uma decisão do ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), garantiu a Witzel a possibilidade de não comparecer ao depoimento. Caso comparecesse, ele poderia ficar em silêncio e não firmar compromisso de dizer a verdade. Quando Witzel pediu para sair da sessão, o depoimento dele já durava mais de quatro horas. “Ele acabou de me comunicar que quer se retirar da sessão, e a gente não pode fazer absolutamente nada”, disse o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM). Ao deixar a comissão, Witzel agradeceu aos senadores e disse que quer contribuir no futuro. “Agradeço a oportunidade, agradeço as perguntas, e tenho certeza que muito tempos a contribuir futuramente”, disse o ex-governador. Witzel foi afastado do mandato e depois sofreu impeachment no ano passado. Ele é réu em processo que apura corrupção e lavagem de dinheiro. O caso tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O depoimento

No depoimento à CPI, o ex-governador fez ataques ao presidente Jair Bolsonaro. Ele disse que o governo federal “deixou os governadores à mercê da desgraça que viria” na pandemia e que Bolsonaro criou o discurso de perseguição aos governadores por ser contra as medidas de distanciamento social.

Witzel afirmou também que Bolsonaro não tem diálogo com os governadores e que o auxílio emergencial demorou a começar a ser pago, o que dificultou a adoção de medidas contra o vírus.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui