“A atuação das agências reguladoras é uma relação de capacho. Elas são pelegos das concessionárias”, afirma presidente do Codevat

“Nós precisamos de dispositivos e ferramentas que protejam o cidadão” em situações de falta de luz por longos períodos, argumenta Luciano Moresco


4
Foto: Reprodução

O presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Luciano Moresco, critica duramente a falta de fiscalização das agências reguladoras sobre as concessionárias de energia elétrica, especialmente a RGE, responsável pela maior parte do Vale do Taquari.

A reprovação vem em função da demora no restabelecimento integral da luz após os estragos na rede elétrica causados pelo temporal da última terça-feira (16).

“Nós precisamos construir um relacionamento diferente das concessionárias, das concessões, do poder público concedente com a sociedade”, defendeu ele, em entrevista ao Troca de Ideias desta terça-feira (23), uma semana após o temporal, data em que ainda há moradores sem energia elétrica na região.

“A atuação dessas agências reguladoras é uma relação de capacho. Elas são pelegos dessas concessionárias. Elas não exigem o cumprimento minimamente adequado do que o contrato de concessão prevê. Nós temos motivos suficientes, se a gente examinar com seriedade e sem qualquer apelo ideológico, para rescindir essas concessões”, Moresco entende.

LEIA TAMBÉM:

“Não é uma fala contrária às concessões”, pontua. “Agora, nós precisamos de dispositivos e ferramentas que protejam o cidadão. De que adianta conceder um serviço público que pode estar sendo mal executado para uma empresa privada que continua executando mal ou até pior?”

O questionamento é uma lembrança ao caso da CEEE, estatal que foi privatizada e adquirida pelo Grupo Equatorial. Mesmo sob administração privada, o serviço desagrada os clientes. Percepção semelhante ocorre com a RGE no Vale do Taquari.

Para o presidente do Codevat, “nós precisamos ter garantias e o cidadão precisa estar protegido”. “Precisamos ter conselhos de usuários fortalecidos para que o cidadão não fique abandonado quando o serviço é mal prestado”, defende.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

4 Comentários

  1. Sempre foi , avisa a empresa que deu uma multa milhonaria e depois ninguém vê falar , e tem mais reclamações usando protocolo das distribuidora que eles pede não serve pra nada porque os atendentes passa com o maior prazer é nem procura solucionar o seu problema.

  2. Sempre foi , avisa a empresa que deu uma multa milhonaria e depois ninguém vê falar , e tem mais reclamações usando protocolo das distribuidora que eles pede não serve pra nada porque os atendentes passa com o maior prazer é nem procura solucionar o seu problema. Nem o comentário nessa página é aceita todos farinha do mesmo saco

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui