Amvat solicitará ao procurador-geral do Ministério Público a abertura de inquérito civil contra a RGE

O objetivo é obter informações detalhadas sobre plano de contingência e investimentos da concessionárias


1
Foto: Divulgação

Como resultado da assembleia extraordinária virtual da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), realizada na tarde desta segunda-feira (22), a Amvat vai solicitar junto ao procurador-geral do Ministério Público do Estado a abertura de um inquérito civil, que trata-se de um procedimento investigatório. No encontro virtual, o assessor jurídico da Amvat, Rodolfo Agostini, disse que o objetivo é resguardar o direito coletivo, o direito de todos os consumidores que fazem parte da Amvat, além de possibilitar o acompanhamento de perto dos serviços, melhorias e desdobramentos. O inquérito une forças com as ações já encaminhadas por vários municípios como Estrela, Venâncio Aires e Lajeado. Agostini acredita que liminares individuais resolvem apenas os casos de modo mais emergencial.

Já o presidente da Amvat e prefeito de Venâncio Aires, Jarbas da Rosa, disse que após uma notificação encaminhada para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o órgão informou que a direção virá ao Rio Grande do Sul para uma reunião entre o governador Eduardo Leite e as concessionárias nesta quarta-feira (24). “Ainda não sabemos se os prefeitos terão acesso”, disse.

Jarbas da Rosa espera que sejam dadas explicações sobre prazos e informações a serem repassadas às comunidades. “Nunca sabemos onde estão as equipes e quais as previsões de restabelecimento”, afirma.

A vice-prefeita de Colinas, Regina Beatriz Sulzbach, informou que o município não sabe mais a quem solicitar. “Não sabemos mais a quem pedir socorro. Talvez hoje ou amanhã volte a luz. Precisamos saber qual o plano de contingência da concessionária. Na nossa região, os problemas são mais no interior, que já sofreu com enchentes, os prejuízos do temporal e agora a falta de luz.”

Decretos de Emergência

O presidente da Amvat também solicitou que os municípios que integram a entidade e que enviaram Decretos de Emergência em novembro/2023 – ainda não homologados – que informem. O levantamento será encaminhado para a Famurs, que levará para a Defesa Civil e Casa Militar.

Texto: Rita de Cássia
redacao@independente.com.br

 

 

1 comentário

  1. Seguimos para mais um dia sem luz, RGE não faz nada. Estou aqui ansioso aguardando informar que foi estabelecido em Estrela 100%. Pois o poste que caiu defronte a minha residência, é o último na rua, ou seja, é o poste que leva luz até minha casa. Apenas nossa residência está sem luz!!! Abrimos mais de 10x solicitações e nada, o jeito será abrir na Aneel.
    Poste podre (sem manutenção) o que ocasionou até prejuízos com poste da residência que veio a cair junto e precisa ser substituído. Agora quem paga juntamente com os alimentos perdido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui