Cooperativa Sicredi Integração RS/MG quer dobrar de tamanho em cinco anos

Novas agências e novos produtos no Rio Grande do Sul e em Minas Gerais fazem parte dos planos de expansão


0
Vice-presidente, Luiz Mário Berbigier (Foto: Nícolas Horn)

A Cooperativa Sicredi Integração RS/MG quer dobrar de tamanho em cinco anos. Esta meta foi apresentada pelo presidente Adilson Metz na noite desta quarta-feira (24), em encontro realizado com a imprensa na sede da Associação dos Funcionários do Sicredi (Afusi), em Conventos, Lajeado. Na oportunidade foram apresentados os impactos positivos de 2023 e os futuros movimentos da cooperativa.

Presidente Adilson Metz (Foto: Nícolas Horn)

“A nossa proposta, o nosso desafio e dos nossos mais de 400 colaboradores, o nosso planejamento estratégico é para que em cinco anos a gente dobre o tamanho da cooperativa. Isso vai ser possível, porque as pessoas estão acreditando cada vez mais e estão aumentando os seus negócios; também temos este grande mercado novo que está se abrindo com estas áreas, que agora foram anexadas à nossa área de atuação em Minas Gerais”, declarou o presidente.

Os recursos da cooperativa, na comparação com 2022, somaram cerca de R$ 5,4 bilhões no ano passado, o que representa um acréscimo de 24% no patrimônio líquido, que atingiu R$ 429 milhões. Já o resultado final teve um acréscimo de 32%, ultrapassando a marca dos R$ 97 milhões.

O vice-presidente, Luiz Mário Berbigier, fez uma avaliação de 2023 e revelou que a meta para este ano é crescer 30%. “O ano passado foi maravilhoso. Tivemos algumas dificuldades, iniciamos com uma estiagem e a partir de setembro tivemos muitas chuvas. Além disso, a economia também estava numa situação de insegurança, mas para a cooperativa foi muito bom. Nós crescemos em média 30%, então a cooperativa atingiu os seus objetivos e o seu propósito que é atender o associado, trazer ao seu associado e para as comunidades, produtos e serviços financeiros com qualidade e taxas justas. Agora a nossa meta para 2024 é continuar crescendo na casa dos 30%”, reforçou.

Texto: Elisangela Favaretto
vitrinedenegocios@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui