“Em oito anos eles criam um mundo novo”, diz empresária lajeadense sobre Dubai

Esta foi a segunda vez que Andreia Feine viajou ao país árabe


2
Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Com as experiências coletadas em Dubai, o grupo de empresários regional já pensa na melhor forma de implantar no Vale do Taquari. Uma das empresárias que participou da viagem foi Andréa Feine. Esta foi a segunda vez que a empresária viaja ao país árabe.
De acordo com ela, as mudanças entre as viagens ao país foram visíveis. “Eles são muito rápidos nas construções, em oito anos eles criam um mundo novo. Eu lembro que eu estava em um hotel na beira da praia, há oito anos atrás, e agora eu fui buscar para rever o hotel e não encontrei. Então fiquei sabendo que eles expandiram a cidade para onde era o mar, e construíram uma ilha inteira no local”, relata.


OUÇA A REPORTAGEM 


De acordo com Feine, parte da metodologia adotada na empresa já é fruto das experiências da primeira viagem. “Quando eu cheguei aqui, há oito anos atrás, várias frases do Sheik estavam expostas em outdoors. Uma delas dizia o seguinte: Planejamento precisa ser longo para que a execução seja rápida. Refleti e trouxe para a nossa realidade, onde temos pouco planejamento e uma execução demorada, que é justamente o contrário. Pensando em mudar isso, planejei e reorganizei a minha empresa. Demorou um tempo, mas conseguimos”, conta.

Conforme a empresária, antes, os clientes ligavam solicitando um orçamento rápido, não se importando com o planejamento, o que na visão dela, aumenta muito a chance de erro. Agora, os funcionários estão orientados a primeiro verificar tudo, bolar um planejamento para ver qual o material adequado para se usar e posteriormente executar.
Chegando ao fim da sua segunda ida a Dubai, Feine avalia como positiva a passagem. “Acho importante a visão do Sheik, que reforça a humanização, que é um dos destaques da nossa região. Não podemos perder essa essência da região. Temos que tratar bem todos”, finaliza.

Texto: Vinicius Mallmann, com informações de Ricardo Sander
regional@independente.com.br

2 Comentários

  1. Sim, Andrea! O shiek que pertence a um regime ditatorial opressor é filósofo também. Usar com moderação os aprendizados, principalmente em se tratando de um contexto político que atenta aos direitos humanos, é essencial.

  2. Caso a moça não saiba, lá eles “dormem em cima de petróleo” e verbas (falamos de milhares de milhões) não faltam além de um regime político/religioso muito divergente do nosso. Aterrissa na realidade brasileira, moça, nenhum delírio vendido pela mídia deles vai resolver nossos problemas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui