Lajeado conclui nesta sexta-feira o processo do SOS Rio Grande do Sul; cerca de 300 cadastros já foram feitos

Recurso de R$ 2,5 mil é disponibilizado para MEIs, autônomos, artesãos, pescadores e pequenos agricultores atingidos pelas enchentes


0
Processo está disponível até as 14h desta sexta-feira (12) (Foto: Gabriela Hautrive)

Encerra nesta sexta-feira (12), às 14h, o processo de cadastros do SOS Rio Grande do Sul  para Microempreendedores Individuais (MEIs), autônomos, artesãos, pescadores e pequenos agricultores de Lajeado que tiveram seus negócios atingidos pelas enchentes de setembro e novembro. Desde segunda-feira (8) as pessoas puderam ir até o Laboratório de Inovação Governamental e Social de Lajeado (Labilá), na Rua Marechal Deodoro, 379, em frente à Praça do Chafariz, para realizarem o procedimento.


ouça a reportagem

 


Até a manhã desta sexta-feira, cerca de 300 pessoas já havia feito o cadastro para receber R$ 2,5 mil em parcela única. O repasse do valor foi arrecadado via Pix, através de doações da população, pelo programa do Governo do Estado.

A maior procura em Lajeado foi dos MEIs, como a Marines Helena Zang, proprietária de um Salão de Beleza. Ela conta que foi pega de surpresa pela enchente, pois no local nunca havia chegado água. “Então, eu perdi praticamente tudo. Não sobrou nada. Se deu pra salvar, assim dá pra se dizer que foi um pente ou alguma coisa supérflua, que é prático de comprar. As coisas caras — móveis, utensílios mais caros, produtos, home care — foi uma perda completa. Não sobrou nada”, relata.

Marines Helena Zang, proprietária de um Salão de Beleza (Foto: Gabriela Hautrive)

Segundo ela, a ajuda dos R$ 2,5 mil será usada para a retomada do negócio. “O movimento, que já não estava muito bom antes devido à pandemia, baixou ainda mais. Então tá bem difícil e acho que vai ser uma ajuda muito bem-vinda agora”, completa. O empreendimento da Marines está localizado na Rua Alberto Torres, no Centro da cidade.

Número de cadastros abaixo do previsto

Conforme a representante do Governo do Estado pela Casa Civil, Mareli Vogel, o número de cadastros feitos em Lajeado é abaixo do que o município estava projetando, que poderia chegar em até 1,5 mil empreendimentos. Isso se deve a diferentes fatores, segundo ela. “Algumas pessoas que a gente escuta o depoimento dizem que já retomaram as atividades, já mudaram de atividade, hoje estão com carteira assinada. Muita procura de MEIs, então as MEIs estão tentando retomar as atividades”, relata.

A procura de pescadores pelo benefício também foi em números expressivos, mas ainda não foi feito o levantamento detalhado por categoria. Já os agricultores fizeram os cadastros pela Emater.

Representante do Governo do Estado pela Casa Civil, Mareli Vogel (Foto: Gabriela Hautrive)

Como funciona o programa e quais municípios já atendidos

O Governo do Estado estabeleceu uma chave Pix (CNPJ) para receber as doações em valores de pessoas e empresas que desejavam repassar recursos para auxiliar vítimas de enchentes no Rio Grande do Sul. O valor arrecadado até dezembro foi de R$ 5,9 milhões, e a lista de municípios atingidos depende de quantos pessoas aderirem ao programa, até acabarem os recursos.

O processo começou por Muçum com atendimento de 260 pessoas; Santa Tereza – 63; Roca Sales – 175; Encantado – 270; Arroio do Meio – 350 e Cruzeiro do Sul com 370, em um total de 1.488 pessoas, sem contar Lajeado. Nestas cidades, foram distribuídos R$ 3,715 milhões.

Estrela deve ser o próximo município

Como irá sobrar recursos em Lajeado, Estrela deve ser o próximo município a receber o programa. “O comitê valida agora as inscrições e desses cadastramentos, pode alguns ainda não serem validados. Quando tiver a lista final, o comitê aprova, repassa o recurso para a Cufa e a terceira etapa é o chamamento presencial que vai ser feito de todos os cadastros aprovados. Isso deve levar de 15 a 20 dias”, explica.

Quem pode receber o benefício

Para receber o benefício, os candidatos aptos devem levar comprovante do estabelecimento e documento de identificação. Após o término das inscrições, será feita análise das informações (em duas a três semanas) para liberação do pagamento. O repasse é conduzido pela Central Única das Favelas (Cufa), uma das entidades participantes do Comitê Gestor do SOS Rio Grande do Sul.

O SOS Rio Grande do Sul foi criado em setembro pelo governo gaúcho para receber doações em dinheiro e ajudar as vítimas das enchentes.

Os depósitos alcançaram mais de R$ 5 milhões desde o início da campanha, em 9 de setembro. Já receberam recursos os municípios de Arroio do Meio, Cruzeiro do Sul, Encantado, Muçum, Roca Sales e Santa Tereza. A princípio, com os recursos que têm atualmente, Lajeado seria a última cidade a receber, conforme o comitê gestor.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui